Fique por Dentro

Tendências do Compliance para 2020

[Total: 3    Média: 4.7/5]
Estamos entrando em uma nova década, e esse é o momento perfeito para renovar e redobrar os esforços e ânimos com os Programas de Compliance. A seguir listamos as nossas apostas para as maiores tendências do Compliance em 2020 para você não só ter um Programa de Compliance, como torna-lo cada vez melhor.

Segurança de dados

Legislações sobre a proteção de dados estão colocando a segurança de dados no radar dos profissionais de Compliance. A entrada em vigor da LGPD está programada para o ano que vem, mas 84% das empresas ainda não estão bem adequadas para a chegada dela. Por isso, a corrida para se preparar para a nova lei deve ser uma forte tendência em 2020.

Será necessário criar fortes laços com o setor de TI, conhecer e contratar funcionários especializados, como o Data Protection Officer (DPO) e estar por dentro da criação da Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD).

Inteligência Artificial

A Inteligência Artificial é uma tecnologia que vem se desenvolvendo com força em todos os setores. No entanto, novos projetos e incentivos estão estimulando a chegada da Inteligência Artificial no setor jurídico.

Para se manter atualizado e até à frente da curva, o Compliance deve começar a pesquisar e implementar ferramentas e tecnologias mais sofisticadas. Elas serão um complemento às estruturas já mais maduras dos Programas de Compliance.

Big Data e análise de dados

A I.A e o Big Data andam lado a lado. Com programas de Compliance cada vez mais complexos, o volume de dados que os Compliance Officers terão ao alcance só vai aumentar.

Esses dados vão ser muito úteis e vão ajudar a aprimorar o Compliance. O trabalho pode ser mais minucioso e efetivo quando ferramentas de Big Data analisam milhares de dados muito mais rápido, e identificam irregularidades em questão de segundos.

Equipes colaborativas

Outra consequência da adoção de novas tecnologias é a tendência de ter equipes mais colaborativas. Enquanto ferramentas estão ocupadas realizando tarefas manuais, os profissionais podem pensar juntos em estratégias.

Isso é uma tendência não só do Compliance, como do trabalho em geral. Equipes mais humanizadas e a integração entre áreas e tipos de profissionais deve marcar o modelo de trabalho em empresas na próxima década.

Conhecimentos técnicos

É claro que não será exigido nenhum conhecimento muito complexo ou profundo sobre questões técnicas. No entanto, ao estar em cada vez mais contato com tecnologia no dia a dia, e com preocupações com segurança digital e dados, etc., os Compliance Officers terão que conhecer um pouco melhor o que acontece por trás da tecnologia.

Indicadores e métricas

Com tudo isso, vamos ter um acesso muito maior a dados e indicadores. Por isso, procure conhecer melhor o Business Intelligence (BI), por exemplo. Pesquise ferramentas que te ofereçam os indicadores mais úteis para o seu Programa de Compliance.

Ter indicadores e evidências cada vez mais sofisticados é uma consequência não só do acesso a muitos dados e de ferramentas de mineração (Big Data), como da inteligência cada vez maior de ferramentas, que conseguirão extrair informações organizadas e relevantes para sua empresa.
Ao usar dados sobre seu Programa de Compliance, você poderá direcionar melhor custos, esforços e estratégias, tornando o Compliance da empresa mais eficiente.

Eficiência e produtividade

Tudo isso levará a uma maior eficiência e produtividade do setor de Compliance. A primeira etapa de implementação e estruturação já se foi. O início de uma nova década será o momento de abraçar as novidades e buscar refinar a qualidade do programa de Compliance.