preloader
Português
Your address will show here +12 34 56 78
Canal de Denúncias, Como fazer, Governança de Documentos, Programa de Integridade
Nesse momento de pandemia que estamos vivendo, empresas se veem obrigadas a manter suas atividades com toda ou a maioria de sua força de trabalho trabalhando de casa.

Precisam arcar com os desafios de cada setor e função e buscar as melhores alternativas para que a produtividade se mantenha, e com o programa de integridade não é diferente.

Existem dificuldades do compliance que podem ser superados em 4 passos, garantindo um programa de integridade remoto de qualidade. Vamos detalhar esses passos ao longo desse blogpost e o próximo.

Os desafios

Para a manutenção do programa de integridade remoto eficaz, existem alguns desafios. O primeiro é da comunicação. Transmitir a cultura da empresa, comunicar regras e tirar dúvidas é fundamental para a integridade.

Outro desafio é a organização. Muitas empresas ainda não têm sistemas eficientes e organizados o suficiente, que unem a equipe, o trabalho e os materiais usados todos no mesmo lugar e a fácil acesso.

Por último, é preciso lidar com um fluxo cada vez maior de pessoas trabalhando remotamente (importante para quem adota VPN, por exemplo), e a probabilidade de o home office continuar sendo empregado após essa crise.

1º Passo: Políticas Corporativas

O primeiro passo para garantir um programa de integridade funcionando remotamente é cuidar das políticas e regras da empresa. É preciso adaptar o conteúdo e os processos de tratamento para o ambiente remoto.

Mas como isso tudo pode ser feito?

  • Clareza, simplicidade e contexto

Suas políticas precisam de clareza, simplicidade e contexto. Estamos em uma época confusa, e as pessoas tendem a ler menos em ambientes digitais. Por isso, mantenha o texto curto e fuja do “juridiquês”. Uma dica é pedir a revisão do texto pelos gerentes das áreas que terão que ler e aceitar o documento.

  • Acessibilidade

Esse é um ponto fundamental. As políticas corporativas precisam estar a fácil acesso para os funcionários da empresa. É preciso ter um espaço fixo onde o funcionário sabe que pode encontrar os documentos. Isso precisa ser bem divulgado.

Uma vantagem do ambiente digital é que esse espaço pode ser compartilhado por um link através de e-mails, no site da empresa, intranet, etc.

  • Cobrança digital

É preciso ter uma forma de cobrar a leitura, o entendimento e o aceite de cada política dos funcionários. Existem várias formas de fazer isso, mas quanto mais política e funcionário tiver na empresa, mais difícil se torna sem uma solução especializada.

  • Indicadores

Como é mais difícil de acompanhar o andamento do programa e o que os funcionários fazem sem estar em contato com eles ou sem a fiscalização presencial, é preciso ter acesso a indicadores. Estando remoto, é ainda mais crucial ter um controle e acompanhamento minucioso do trabalho.

  • Política para home office

Recomendamos criar uma política específica sobre como o funcionário deve trabalhar em home office. Ajuda o funcionário a ter uma direção, além de prevenir contra excesso de trabalho e outros problemas trabalhistas.

  • Vídeos (tone at the top)

Outra forma de trabalhar a cultura e as regras nesse momento confuso e inédito é fazendo vídeos com a alta direção. Pode ser enviando por e-mail, em redes sociais, etc. Ajuda a criar a sensação de união na empresa, e transmite as regras virtualmente de forma eficaz.


2º Passo: Canal de Denúncias

Outro pilar que deve continuar em pleno funcionamento no seu programa de integridade remoto é o canal de denúncias. Irregularidades precisam ser reportadas, mesmo de casa, e precisam ser investigadas corretamente, mesmo de casa.

De acordo com um estudo da KPMG, 70% das denúncias em empresas são feitas pelos meios digitais. Isso é influenciado também pela relutância de gerações mais jovens em usar o telefone, preferindo digitar suas mensagens.

Como é possível fazer um bom canal de denúncias virtual para o funcionário remoto?

  • Acessibilidade

O Canal de Denúncias precisa ser muito bem divulgado de forma digital, assim como as políticas. Tendo um canal web, é possível simplesmente disponibilizar o link para ser enviado por mensagem ou e-mail.

Essa é a forma mais pessoal e que garante mais visibilidade e confiança no canal. Também pode ser incluído em sites e intranets. Lembre aos funcionários que não é preciso denunciar apenas situações presenciais do escritório.

  • Regras claras

Garanta um uso fácil do canal tendo uma página com regras claras para o uso. Quanto menos ruído, maiores as chances de o funcionário denunciar. Também diminui a chance de ele precisar entrar em contato para tirar dúvidas, e produz denúncias mais simples de serem investigadas.

  • Quanto menos clicks melhor

Faça com que o processo de fazer uma denúncia seja o mais simples possível. Quanto menos vezes o funcionário precisar clicar para concluir sua denúncia, melhor. Isso é uma técnica de usabilidade que parece boba, aumenta a quantidade de denúncias.

  • Log de auditoria

A auditoria também precisa ser feita remotamente quando a empresa trabalha remotamente. Ainda é possível fazer um trabalho de qualidade quando se documenta e compartilha o que foi feito com a equipe. Busque uma ferramenta que forneça essa documentação do progresso e detalhes de cada denúncia e sua investigação.

Confira o próximo blogpost para os passos 3 e 4!


 
0

Canal de Denúncias, Como fazer, Governança de Documentos, Treinamento de Compliance
Uma das áreas do compliance mais aplicadas em empresas é o compliance trabalhista. Isso porque o objetivo principal do compliance é mitigar riscos que podem causar prejuízos financeiros e de imagem à empresa. E quem, afinal, representa mais a empresa e, portanto, representa maior risco à empresa, do que os funcionários?

Essas pessoas são quem compõem a empresa, e por isso precisam ser muito bem cuidadas, e precisam representar bem a cultura da empresa. É possível fazer isso através de um bom programa de compliance trabalhista.

A seguir vamos destacar alguns pontos importantes para uma estratégia desse tipo que vão além dos pilares de programas de compliance em geral.

1 – Treinamentos de conduta no ambiente de trabalho

Treinamentos são uma peça indispensável para programas de compliance em geral. No entanto, quando o objetivo é trabalhista, é preciso focar em alguns fatores.

Uma estratégia para minimizar riscos e problemas trabalhistas é investir no ambiente de trabalho. Isso inclui trabalhar questões que podem criar um ambiente tóxico de trabalho como, por exemplo:

  • Assédio sexual
  • Assédio moral
  • Conflitos entre colaboradores
  • Desigualdade de gênero

E é através de treinamentos de ética e compliance voltados para conduta no ambiente de trabalho que você pode garantir que os funcionários saibam reconhecer essas condutas impróprias, as punições para atitudes como essas e também o que fazer a respeito.

Invista em tecnologia

Outra dica para treinamentos é investir em ferramentas de tecnologia que ajudam o seu treinamento ser o melhor possível. Hoje em dia não faltam opções que podem fazer com que o trabalho do profissional de compliance seja menor, e os resultados sejam menores.

Alguns benefícios de adotar plataformas de treinamento em vez de fazer treinamentos presenciais são:
  • Abrangência a todos os funcionários de uma só vez
  • Menor trabalho para profissional de compliance em ministrar treinamentos
  • Controle automática e precisa de presença
  • Controle preciso de resultados
  • Maior engajamento com recursos audiovisuais de ponta
  • Possibilidade de acompanhamento por métricas automáticas e precisas

2 – Ter um canal de denúncias confiável

Outra forma muito importante para garantir um bom programa de compliance trabalhista e que hoje em dia é ainda mais fácil de implementar é não só ter um canal de denúncias, como ter um canal em que os colaboradores confiam e realmente usam.

O canal de denúncias também é um pilar básico do compliance, e como pode ser de fácil implementação, muitas empresas dão o mínimo de atenção e assim, garantem pelo menos alguma coisa para mostrar em caso de auditoria.

O problema é que a tendência é uma rigidez cada vez maior na fiscalização de programas decompliance, e sua empresa não está segura da Lei Anticorrupção só porque tem um canal de denúncias. O mesmo vale para a eficácia do compliance trabalhista.

Por isso a nossa dica não é ter um canal de denúncias, e sim ter um canal confiável. Se o seu canal é confiável, significa que ele possui essas características fundamentais:

  • É bem conhecido por seus colaboradores (é bem divulgado e seu uso é estimulado pela empresa)
  • É realmente utilizado pelos funcionários
  • Os funcionários têm a prova de que suas denúncias são analisadas e tratadas
  • Os denunciantes têm como saber que as denúncias foram resolvidas, como foram e por quê 

Uma boa forma de garantir tudo isso é ter uma opção de canal de denúncias web. Com ele, você consegue colocar o link para ele em diversas plataformas e materiais digitais, facilitando a disseminação.

Além disso, consegue automatizar o processo de notificação ao denunciante sobre o andamento do tratamento da denúncia. Assim, nenhum funcionário fica sem feedback e é sempre atualizado em tempo real.

Outro motivo para investir nesse tipo de canal é que o website é o principal canal utilizado na hora de fazer denúncias. 43% das denúncias são feitas pelo site, contra apenas 26% por telefone e 17% por e-mail.

3 – Ter uma boa cultura de recrutamento

Como os verdadeiros protagonistas do compliance trabalhista são os funcionários, é importante que, além de manter boas práticas para eles enquanto já estão na sua empresa, você também faça a seleção de candidatos já propensos a viverem a cultura de ética e integridade da empresa.

Para isso, uma boa ideia é fazer questionários durante o processo seletivo para saber como um funcionário agiria em determinadas situações em que sua ética seria testada.

Além disso, é possível procurar conhecer o que essas pessoas valorizam em uma equipe e em um ambiente de trabalho, além de o que pensam sobre assuntos polêmicos como assédio sexual.

É possível que em algum momento seja preciso escolher entre uma pessoa mais qualificada ou uma pessoa que se encaixa nos valores da empresa. É preciso ter certeza de que os seus recrutadores saibam quais os prejuízos que um profissional que cometa fraudes, assédios e outros problemas pode trazer para a empresa.

Por isso, é importante dar prioridade ao perfil do candidato, já que habilidades técnicas podem ser adquiridas com prática.

Posso checar antecedentes criminais?

Embora seja tentador fazer checagem de antecedentes criminais, é importante lembrar que não é permitido para a maioria das vagas. Não contratar um candidato baseado nisso pode ser classificado como um ato de preconceito.

Existem algumas vagas que exigem maior fidúcia devido à natureza do trabalho, como quem lida com bens de alto valor, entre outros.

Se você acredita que esse é o seu caso e que é importante checar antecedentes, faça uma boa pesquisa e consulte os advogados da empresa para se certificar de que não terá nenhum problema com o direito do trabalho.

4 – Ter políticas corporativas claras e conhecidas

A última dica que queremos dar para a implementação do compliance trabalhista na prática é sobre políticas corporativas.

Isso é especialmente importante no compliance trabalhista porque as políticas são o guia de comportamento dos funcionários, além de assegurar os direitos deles.

Por isso é importante que funcionários não só conheçam bem, como entendam o conteúdo das políticas.

Criando as políticas

Antes de tudo, é preciso primeiro garantir que a sua empresa tem as políticas mais importantes como um todo, e também as mais importantes para cada setor (lembre-se de que um excesso de políticas também fica cansativo e desnecessário. Por isso, foque apenas no que é necessário).

Depois de saber quais políticas serão feitas, trabalhe não só com o departamento jurídico na elaboração delas, mas também com o RH e com chefes do departamento ao qual a política será direcionada.

Isso vai ajudar a redigir políticas de forma clara e compatível com o público que terá que ler e aceitar. Muitas vezes o jurídico tem a tendência de fazer textos mais complexos e rebuscados, o que não é sempre necessário no caso de políticas corporativas e dificulta o entendimento.

Distribuindo as políticas e recebendo aceites

A última etapa na gestão de políticas é na hora da distribuição das políticas e no recolhimento dos aceites. Não basta ter um bom texto, é preciso ter uma forma precisa e abrangente de pedir a leitura, cobrar o entendimento e registrar o aceite.

Para isso também é possível recorrer à tecnologia. Existem ferramentas que automatizam todo o processo de cobrança de leitura para o profissional de compliance.

É possível também configurar perguntas para comprovar que o funcionário entendeu a política antes de aceitar. Tudo isso cria dados e relatórios que podem ser acompanhados para melhorar o programa de compliance trabalhista e identificar pontos problemáticos.


 
0

Funcionalidades
Clientes da Microsoft Azure agora têm acesso ao clickCompliance, da Ímpeto Informática para aproveitar a escalabilidade, confiabilidade e agilidade da Microsoft Azure e incentivar o desenvolvimento de aplicativos e formar estratégias de negócios.

Rio de Janeiro, Brasil — 31 de janeiro, 2020 

O software clickCompliance, da Ímpeto, agora está disponível na Microsoft Azure Marketplace, uma loja online que oferece aplicativos e serviços para serem utilizados no Azure. Os clientes agora aproveitam a plataforma de nuvem confiável da Azure, com implantação e gerenciamento simplificados.

O clickCompliance automatiza tarefas manuais necessárias para gerar as evidências legais que as leis nacionais e internacionais pedem. A Lei Anticorrupção brasileira de 2013 estabeleceu penalidades severas para qualquer empresa envolvida em propina e outros esquemas de corrupção. O regulamento, alinhado com o FCPA (Ato de Práticas Corruptas Estrangeiras dos E.U.A) e o UKBA (Ato de Propina do R.U), criou a necessidade de empresas desenvolverem programas mais estruturados e complexos de compliance.

Já a mais recente Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD), que entra em vigor este ano, estabelece mais boas práticas e orientações para programas de Compliance e proteção de dados em empresas. Além disso, introduz uma nova agência fiscalizadora desses programas, a Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD). A lei é baseada no General Data Protection Regulation (GDPR), da União Europeia.

O clickCompliance é integrado e sincroniza com o Microsoft Azure Active Directory, que torna mais fácil monitorar funcionários novos, mudanças de departamento, etc. Os Serviços Cognitivos Azure são utilizados para automatizar perguntas sobre compliance através de um chatbot, providenciando KPIs valiosos para monitorar a adoção do programa de compliance.

“Após implementações bem-sucedidas em grandes empresas no Brasil (empresas com mais de 5,000 pessoas), percebemos que os desafios são os mesmos ao redor do mundo, visto que a maioria das leis dividem os mesmos princípios”, disse Marcelo Erthal, CEO do clickCompliance. “Portanto, lançamos o clickCompliance globalmente através do Microsoft Azure Marketplace. Assim, clientes se beneficiam da administração de documentos que um programa de compliance robusto pede, podendo receber através de uma assinatura Azure”.

Usando o clickCompliance, você controla a aceitação e a compreensão das políticas por parte dos stakeholders. Também é possível monitorar quem assistiu treinamentos sobre ética, receber e acompanhar denúncias do Canal de Denúncias e receber dúvidas através de um chatbot. Alertas podem ser configurados para avisar da expiração de políticas e documentos, sobre aprovações, relembrar quem ainda não aceitou políticas ou fez um treinamento e mais. Além disso, relatórios detalham quem está ou não em dia com as solicitações do departamento de Compliance.

“Ficamos felizes em dar as boas-vindas ao clickCompliance ao Microsoft Azure Marketplace, que dá aos nossos parceiros uma boa exposição ao redor do mundo. Ela também oferece experiências de qualidade internacional através dos nossos parceiros globais, confiáveis soluções testadas para trabalharem perfeitamente com Azure”, comentou Sajan Parihar, diretor da Plataforma Microsoft Azure na Microsoft.

O Azure Marketplace é uma loja online para compra e venda de soluções em nuvem certificados para funcionarem com o Azure. O Azure Marketplace ajuda a conectar empresas buscando soluções na nuvem inovadoras, com parceiros que desenvolveram soluções prontas para uso.

Sobre o clickCompliance

O clickCompliance é um produto da Ímpeto, uma empresa de software brasileira com 20 anos de experiência, especializada em soluções web e .NET customizados e desenvolvimento em SharePoint. A Ímpeto desenvolveu o clickCompliance para suprir as necessidades do mercado por um programa de compliance robusto para gerenciamento de políticas e documentos, apoio, treinamento e atendimento.

Saiba mais sobre o clickCompliance em sua página no Azure Marketplace

Informações adicionais :
Saiba mais: https://clickcompliance.com
0

Canal de Denúncias, Como fazer
A Inteligência Artificial (I.A) passou de inovação futurística a ferramenta de uso comum em diversos setores da vida em uma questão de anos. Mas hoje em dia, não só é uma tecnologia que agrega à vida e às empresas, como é necessária para empresas que queiram concorrer com o mercado. Acredite, se você não está usando, outras empresas estão. Isso vale também para o Compliance, e nesse blogpost vamos falar especificamente sobre como aplicar a Inteligência Artificial em Canais de Denúncias.

Anonimização

Uma possibilidade muito interessante para os canais de denúncias é a anonimização. Ferramentas que fazem isso selecionam certos dados sensíveis e substituem por códigos referentes a alguma classificação de dado. Isso evita que funcionários tenham acesso a dados sensíveis desnecessariamente, ajudando a proteger os dados e estar de acordo com a LGPD.

Além disso, elimina o acesso a informações sensíveis que nem sempre são necessárias para fazer uma análise ou compartilhar com alguma autoridade que esteja analisando o programa de Compliance da empresa.

Abaixo, vemos o exemplo de uma denúncia que pode ter sido feita em uma empresa. Ao lado, mostra como as informações são codificadas e depois podem ser decodificadas pela ferramenta.


Classificação de denúncias

Outra forma de usar a Inteligência Artificial em Canais de Denúncias é na classificação automática do tipo de denúncia. Se a I.A for bem treinada e tiver uma boa base para aprender, consegue separar a denúncia a partir de alguns fatores. Por exemplo, o quão completa a denúncia está, qual a investigabilidade dela e qual a gravidade da denúncia.

Isso diminui drasticamente o trabalho da equipe de Compliance ou auditores. Muito tempo é perdido com denúncias que não são infrações graves ou não são de responsabilidade do Compliance. Com essas ferramentas, funcionários podem focar seu tempo em investigar as denúncias mais graves e que apresentam maiores riscos.

Coleta de denúncias

Uma utilidade ainda pouco explorada da Inteligência Artificial no Compliance é na própria coleta das denúncias. Hoje em dia as opções mais comuns são um portal na internet em que o funcionário envia a denúncia, ou um número de telefone.

O problema de um portal é que o funcionário não tem como analisar a denúncia imediatamente e pedir as informações que faltam ou pedir esclarecimentos.

Já para ter uma pessoa ou equipe para coletar denúncias, o custo é muito mais alto, visto que precisam ser profissionais muito capacitados. Isso torna um atendimento de qualidade inacessível para pequenas e médias empresas, e um serviço caro para as maiores.

Com uma Inteligência Artificial, é possível criar uma ferramenta que soa como um humano e atende um telefone para coletar dúvidas. É possível identificar as informações faltantes na denúncia e classificar a denúncia usando as tecnologias que explicamos acima.

Como acessar essas ferramentas?

É possível ter essas ferramentas de alta tecnologia hoje por um preço justo, ainda mais no Brasil? Felizmente, sim! O clickCompliance foi selecionado em um edital concorrido da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (FAPERJ). Com o apoio deles, estamos trabalhando com Mestres e Doutores em I.A para fazer todas essas ferramentas.

Se inscreva abaixo para receber informações de alguém do clickCompliance sobre como participar do nosso projeto de inovação e ter acesso antecipado a todas essas ferramentas!

 
0

Canal de Denúncias, Como fazer
O Canal de Denúncias é um pilar do programa de Compliance e um dos meios mais eficazes de combater a corrupção, fraudes e outros comportamentos ilícitos. Esse fato foi comprovado por um estudo da Deloitte com a International Chamber of Commerce – Brasil (ICC Brasil).

A pesquisa “Integridade corporativa no Brasil – Evolução do compliance e das boas práticas empresariais nos últimos anos” mostrou que em 211 empresas brasileiras, entre 2012 e 2017, mais da metade das irregularidades foram detectadas por mecanismos internos como Canal de Denúncias.

Isso só comprova a importância de investir em boas práticas para que o Canal da empresa tenha a melhor performance. Assim, não só você assegura um programa de Compliance forte, como combate perdas financeiras e de reputação que a corrupção causa.

Tudo isso sem contar que um dos critérios da Controladoria-Geral da União (CGU) considera que um Canal de Denúncias tem peso de 20% na conquista (e manutenção) do Selo Pró-Ética. A seguir, leia as 6 melhores práticas para que o seu Canal de Denúncias seja o mais eficaz possível.

Boa comunicação

O primeiro passo é garantir que os colaboradores da empresa tenham conhecimento de como é, como acessar e como funciona o Canal de Denúncias. Afinal, não adianta ter um bom Canal se ele não é usado, ou pior, se os colaboradores não confiam nele.

Para isso, invista bem em campanhas de conscientização. Podem ser por e-mail, físicas (com cartazes e panfletos), em reuniões, etc. Também é importante que novos funcionários sejam apresentados ao Canal e para que serve, que tipo de denúncia é possível fazer, etc., logo que chegam na empresa.

Nessas campanhas, mostre como acessar o Canal (deve ser fácil de achar e de fazer a denúncia), como assegurar anonimato e o que o setor de Compliance faz ao receber a denúncia. Mostrar e ter compromisso com transparência aumenta o índice de uso e passa confiança.

Não só permitir, como assegurar o anonimato

Como já falamos, é importante que os funcionários saibam que eles podem denunciar anonimamente. No entanto, só falar que é anônimo não é o suficiente. Se possível, faça uma breve apresentação dos meios de segurança que permitem denúncias anônimas.

Além disso, lembre de reforçar que nem a equipe de Compliance terá acesso aos dados sensíveis do denunciante. Em casos ideais, as denúncias nem serão investigadas por uma equipe interna, e sim por uma equipe terceirizada e imparcial.

Se for o caso da sua empresa, faça com que isso fique claro para colaboradores.

Sempre dar respostas às denúncias

Pode parecer uma perda de tempo ou desnecessário, mas sempre responder ou dar algum retorno sobre as denúncias é muito importante. Isso vale mesmo se, após a investigação, a denúncia for improcedente. Se a equipe tiver a capacidade de responder tudo, ajuda a criar confiança no Canal.

O colaborador sabe que sua denúncia foi investigada e encerrada, e que o setor de Compliance deu a devida atenção à sua preocupação. Porém, nem sempre é possível dar respostas se a quantidade de denúncias for alta.

No clickCompliance, por exemplo, o denunciante recebe um protocolo e acompanha o andamento da denúncia. Assim, ele sabe se já está sendo investigada, encerrou, etc. sem precisar consultar o Compliance.

Treinamentos regulares

Uma parte importante da eficácia do Canal de Denúncias é manter a existência e funcionamento dele no dia a dia dos funcionários. Realizar treinamentos frequentes, além de campanhas de comunicação, lembra a funcionários que eles podem fazer denúncias.

Além disso, mantêm os colaboradores atualizados com o processo de denúncia e as vias disponíveis. Por exemplo, se um novo Canal online for introduzido, fazer um treinamento sobre o uso ajuda a facilitar a denúncia. E quanto mais fácil for fazer a denúncia, maior o índice de denúncias feitas.

Treinamentos também podem ser mais abrangentes, falando sobre a importância de realizar denúncias e sobre como isso afeta o ambiente de trabalho. Uma dica é usar cenas e situações do dia a dia para mostrar que atitudes antiéticas afetam diretamente todos os colaboradores no dia a dia.

Equipe bem treinada para qualificação de denúncias

Todas as dicas acima focam principalmente em maneiras de estimular denúncias. Mas uma boa prática muito importante para Canal de Denúncias é na etapa de qualificação e apuração. A equipe deve ser muito bem treinada para conseguir elevar o máximo possível a eficiência do trabalho.

Isso quer dizer que devem saber discernir bem em quais denúncias a equipe de investigação deve ou não aplicar seus esforços e recursos. É tão importante, que hoje em dia já existem ferramentas sendo desenvolvidas para aumentar a precisão dessa triagem e automatizar.

Conheça o projeto de inovação Denúncia Inteligente, do clickCompliance Innovation Lab, e saiba como inscrever sua empresa. Nessa parceria empresas podem receber benefícios antecipadamente como ferramentas que serão desenvolvidas pela nossa equipe.
0

Canal de Denúncias, Como fazer

Por que ter um Canal de Denúncias?

estatística canal de denúncias 1

É muito difícil fazer alguma coisa ilícita ou contra as normas da empresa sem que ninguém saiba. Normalmente alguém descobre, mas por diversos fatores, não falam nada. Pode ser medo de retaliações, falta de confiança na resolução do problema, medo de virar um “dedo-duro”, ou simplesmente não saber onde e como denunciar. Mas um Canal de Denúncias e Compliance bons e bem planejados podem solucionar todos esses problemas.

  • Lei Anticorrupção:

Redução de multas em empresas que possuem “mecanismos e procedimentos internos de incentivo à denúncia de irregularidades”


  • O impacto financeiro de não ter um Canal de Denúncias e Compliance bem estruturados é um grande incentivo. Nós gostaríamos que não fosse o principal, mas sabemos que para muitas empresas, ainda é.


Para onde vai esse dinheiro?

• Receitas desviadas/perdidas
• Processos jurídicos


canal de denúncias - estatística - 2


Apesar disso, no Brasil a quantidade de fraudes descobertas por denúncias é muito menor do que mundialmente. E no Brasil, o meio de descoberta mais comum, a auditoria externa, é bem menos usual no resto do mundo.

canal de denúncias - estatística - 3

O que preciso fazer para que ele funcione bem?

1: As denúncias que podem ser feitas a um canal dizem respeito não só a atos ilícitos, mas a todas as normas e políticas da empresa. Mas os funcionários não têm como saber o que reportar se não sabem o que é ou não proibido.

Por isso, um dos passos mais básicos é assegurar que os colaboradores saibam bem o conteúdo das políticas corporativas da empresa. Além disso, devem receber treinamentos que reforcem isso, mas que também abordem legislação.

Assim, eles estarão bem preparados para denunciar situações quando surgirem.

2: Um dos obstáculos dos profissionais de Compliance na hora de incentivar denúncias é a cultura, ainda muito presente, do medo de ser “dedo-duro” contra os “espertos”.

Para combater isso, é necessário um trabalho contínuo de promoção da ética e integridade como um valor da empresa, e a denúncia como uma coisa positiva.

Assim, os funcionários se sentem à vontade para cuidar do ambiente de trabalho e contribuir ativamente para sua empresa no dia a dia.

Este texto é apenas uma parte do nosso E-Book “Canal de Denúncias: Da Denúncia à Investigação”. Nele, tem uma lista completa de dicas para implementação de Canal. Também incluímos dicas para investigações e entrevistas.


 
0