ética e compliance em empresas - clickCompliance
Your address will show here +12 34 56 78

Ambiente Corporativo, Ambiente de trabalho, Business

Aumentar a reputação da empresa pode significar aumento nas vendas, atração de investidores e destaque no mercado! Veja como o compliance pode ser um aliado.

Você já parou para pensar no verdadeiro valor da reputação de uma empresa? Claro, as avaliações positivas dos clientes são fundamentais, mas será que esse é o único objetivo? 

A resposta é simples, porém, exige um longo caminho de trabalho: aumentar a reputação da empresa representa oportunidades de crescimento! 

Isso mesmo, a reputação é responsável por atrair novos olhares, inclusive de potenciais parceiros e investidores. Além disso, é a base para a conquista de novos consumidores. 

Mas para colher os frutos de uma reputação sólida, é preciso cumprir uma série de condutas. E esse não é um trabalho nada fácil! O compliance se apresenta como facilitador desse processo ao auxiliar a organização a operar sob o princípio da ética e do profissionalismo. 

O programa de compliance tem o propósito de assegurar a conformidade com a legislação vigente que abrange a atividade da empresa.

Com uma gestão de processos automatizada, os resultados são otimizados e oferecem detalhes sobre os principais riscos para sua empresa, sendo fundamental para manutenção da reputação empresarial. 

Quer saber mais sobre o assunto? Não deixe de ler este conteúdo na íntegra.

 

O que é reputação da empresa?

A reputação está atrelada ao conceito de opinião pública, ou seja, se refere à ideia que os consumidores, os funcionários e os parceiros têm de uma empresa. Afinal, todos que, de alguma forma, se relacionam com os produtos ou serviços ofertados por um negócio criam um juízo de valor sobre ele. 

Portanto, a reputação de uma empresa está ligada diretamente à qualidade na entrega dos trabalhos. Porém, ela não se resume a isso! 

Por mais que gerar uma boa impressão nas pessoas seja importante, uma reputação sólida se baseia na imagem da empresa ao longo dos anos, o que inclui toda sua trajetória e dedicação. 

Quais fatores formam a boa reputação da empresa?

O ideal é identificar quais valores você quer associar à empresa, assim, fica claro para o público quais ações esperar, evitando quebra de expectativas.

Mas, de maneira geral, existem diversos pontos que podem ser explorados por uma empresa para assegurar uma boa reputação. Dentre eles se destacam: 

Produtos, serviços e preços justos

A qualidade dos produtos e da entrega dos serviços é um dos fatores que mais influencia na reputação de uma marca. Diferentes estudos mostram que os consumidores pesquisam sobre a reputação da marca antes de finalizar a compra.

Se não há satisfação ao consumir o que é oferecido, a relevância sobre aquele produto ou serviço cai. 

Em casos isolados, o efeito não é alarmante, mas em uma escala maior pode comprometer a reputação da empresa. Por isso, é importante seguir os princípios de: 

  • Nunca prometer aquilo que não possa ser cumprido;
  • Ser transparente sobre os benefícios dos seus produtos ou serviços;
  • Pesquisar sobre os valores de mercado no seu setor;
  • Oferecer uma faixa de preço justo e alinhado ao perfil do seu consumidor.

 

Comunicação honesta com público externo e interno

Tentar esconder os problemas ou fazer as coisas “por debaixo dos panos”, normalmente, não tem um bom desfecho. Assim, a comunicação honesta deve ser a base de qualquer organização! 

Por isso, busque estar presente em diferentes canais de comunicação, estreitando as relações com o público externo. Mas, também, invista em processos comunicacionais dentro da empresa, colocando os funcionários a par sobre as decisões tomadas. 

Um diálogo franco aumenta a reputação da empresa ao gerar senso de pertencimento e confiança das pessoas. 

 

Responsabilidade social

Engana-se quem acredita que assumir um compromisso com questões sociais é um diferencial para a empresa. Hoje, isso é uma necessidade

Ter um posicionamento em relação às responsabilidades sociais mostra que a organização se insere como agente na sociedade, e não apenas cumpre uma função mercadológica. 

A responsabilidade social precisa estar engajada com o propósito da empresa, apresentando, na prática, meios para promover avanços na causa. Não se trata de levantar bandeiras, mas de ter comprometimento.

Pesquisas mostram que os consumidores confiam mais em empresas que demonstram ter propósitos frente à sociedade.

Ética acima de tudo

Zelar pela regularidade de uma empresa é, também, cuidar da sua reputação. Condutas antiéticas estão entre os maiores vilões para a imagem de uma organização

Para evitar polêmicas, é importante criar uma cultura organizacional voltada para a ética. Assim, todos os processos de uma organização precisam estar em conformidade com as leis e com o bem-estar social.


Por que a reputação da empresa é importante?

Como foi dito no início, a reputação empresarial faz parte da estratégia de crescimento do negócio. Organizações com uma reputação sólida tendem a se destacar no mercado, alcançando resultados exponenciais. 

Portanto, preservar uma boa reputação garante uma série de vantagens e benefícios, como:

Conquista de mercado

Quando uma empresa é bem conceituada, é sinal de satisfação do cliente. O que significa que a entrega de seus produtos ou serviços possui qualidade. 

Proporcionar uma boa experiência ao cliente, do início ao fim da jornada de compra, é uma forma de se destacar no mercado, aumentando as chances de: 

  • Satisfação; 
  • Fidelização; 
  • Recomendação; 
  • Aumento das vendas.



Cria referência e solidez

Ser reconhecido por ter uma boa reputação faz a empresa se tornar referência em seu nicho. 

Assim, o consumidor conhece os valores da empresa e não há desconfianças na hora de optar por seus produtos ou serviços. 

Gera dividendos financeiros

Quando uma empresa possui uma reputação sólida, os investidores costumam ter maior confiança na sua habilidade em gerar valor e proporcionar retornos financeiros consistentes. 

Assim, as chances de conseguir atrair mais investidores é grande. Esse é um fator essencial para trazer crescimento para o seu negócio. 

Como o compliance ajuda na reputação da empresa?

Empresas que atuam em conformidade tendem a ter processos mais estruturados, construindo uma imagem melhor no mercado. 

Assim, a reputação positiva pode ser uma consequência direta de um bom programa de compliance! Veja em quais quesitos ele pode ajudar a sua empresa

Trabalha preventivamente

O compliance dispõe de muitos recursos para atuar de forma preventiva, como a avaliação de riscos

O programa tem o objetivo de mapear possíveis irregularidades, prevendo riscos e auxiliando a empresa a lidar com essas questões. 

Estimula o feedback

Esse é um ponto fundamental no trabalho de compliance, pois os gestores da empresa precisam compreender os feedbacks dados pelo setor e, através deles, realizar os ajustes necessários. 

Dessa forma, o feedback se torna a base para uma boa cultura organizacional, sendo essencial para a execução de processos internos. 

Monitora cenário permanentemente

No compliance, acompanhar métricas é uma das tarefas mais importantes, portanto, o monitoramento do cenário da empresa ocorre de maneira constante. 

Isso é essencial para medir os resultados da empresa e se ela realmente está seguindo as orientações da legislação vigente.

 

Garanta a conformidade e a reputação da sua empresa

Se você quer construir ou manter a boa reputação da sua empresa, tenha o programa de compliance como seu principal aliado!

O clickCompliance oferece soluções que auxiliam nesse processo. Acesse o nosso site para conhecer nossos serviços e agende uma demonstração!

0

Formulários de Compliance, Programa de Integridade, Treinamento de Compliance

Saiba os principais benefícios que o investimento na área de compliance pode trazer para as empresas que fazem a gestão das rodovias.  


Certamente, ao viajar de carro, você já se deparou com placas com os dizeres “Trecho administrado por empresa X”. Trata-se de um aviso de concessão, ou seja, quando uma companhia assume a gestão de uma rodovia no lugar do Estado.  

As concessionárias de rodovias cumprem um papel fundamental na infraestrutura do país, conectando regiões e proporcionando o transporte de pessoas e de mercadorias.  

Assim como em outros segmentos do mercado, o compliance também desempenha uma função essencial nessas empresas, trazendo diversos benefícios tangíveis, tais quais o fortalecimento da imagem corporativa e a mitigação de riscos legais, por exemplo.  

Neste artigo, você vai entender os desafios que as concessionárias de rodovias enfrentam e porque o compliance é uma peça-chave para o sucesso e o crescimento sustentável deste negócio.  

Vamos lá?  

 


O que são as concessionárias de rodovias? 
 

O transporte rodoviário é o principal sistema logístico do Brasil e é responsável por facilitar o acesso às cidades, possibilitar a circulação das pessoas e viabilizar o deslocamento de cargas, mercadorias e bens de consumo. Como vivemos em um país de dimensão continental, nem sempre o Estado é capaz de fazer a manutenção das estradas que ligam os municípios e é aí que entram as concessões rodoviárias. 
 

Antes de tudo, precisamos explicar o que são as concessões: são contratos firmados entre o governo e companhias privadas com o intuito de melhorar o serviço prestado à população quando o Estado não tem recursos para fazê-lo. No caso das concessionárias de rodovias, esse contrato é dedicado exclusivamente ao gerenciamento das estradas.  

Neste modelo, o governo continua sendo o proprietário das rodovias, mas as empresas privadas têm a responsabilidade de fazer toda a gestão das estradas, incluindo manutenções e melhorias. Em contrapartida, a concessionária pode fazer a exploração econômica da rodovia, por meio da cobrança de pedágios. 


 


Empresas do segmento rodoviário enfrentam desafios
 

Em geral, as concessionárias de rodovias podem enfrentar desafios específicos relacionados à sua operação, devido à natureza complexa de suas atividades, como:  

 

Complexidade regulatória significativa 

Como já dissemos, as concessionárias de rodovias operam sob contratos de concessão firmados com órgãos governamentais, o que implica em cumprir diversas regulamentações específicas. Esses contratos podem ser extensos e detalhados, o que requer um alto nível de conformidade com as cláusulas contratuais e com as leis vigentes. 

 

Inovação e Tecnologia 

A adoção de tecnologias inovadoras é fundamental para melhorar a eficiência e a qualidade dos serviços oferecidos pelas concessionárias de rodovias. No entanto, a implementação de novas tecnologias pode representar um desafio em termos de investimentos e capacitação de equipe. 

  

Relacionamento com a Administração Pública e Órgãos Reguladores 

As concessionárias de rodovias precisam manter um relacionamento próximo e transparente com a administração pública e órgãos reguladores para cumprir as exigências contratuais e regulatórias, como a Lei Anticorrupção. O diálogo constante é essencial para evitar conflitos e assegurar o cumprimento das obrigações. 

 

O que é compliance e por que é essencial para as concessionárias rodoviárias 

 O compliance é muito mais do que apenas seguir regras e regulamentos. Trata-se de garantir que a empresa atue dentro das normas legais e éticas, priorizando a transparência, a responsabilidade e a integridade.  

Para as concessionárias rodoviárias, a conformidade é essencial para garantir uma atuação segura e eficiente. São diversos benefícios, como o aumento da transparência e da governança corporativa, melhoria da relação com o Estado, investidores e stakeholders, mitigação dos riscos legais, além do fortalecimento da reputação da empresa perante o mercado. 

No entanto, a rotina do setor de compliance pode ser bastante árdua e operacional. Neste contexto, investir um sistema completo de gestão de compliance é crucial para otimizar a operação de compliance como um todo, já que a solução tecnológica automatiza os processos da área e os torna mais precisos.  


 

Melhores práticas em compliance


O compliance é um pilar fundamental para as concessionárias de rodovias, oferecendo inúmeros benefícios e auxiliando-as a superar desafios específicos do segmento. Ao adotar uma cultura de conformidade e manter um relacionamento ético com a administração pública, essas empresas estão posicionadas para alcançar um crescimento sustentável e contribuir para o desenvolvimento do país.
 

A seguir, listamos as melhores práticas que as empresas do setor devem adotar.  

 

Implemente políticas e códigos de conduta 

Criar regras e procedimentos internos a serem seguidos por todos os funcionários, terceirizados e parceiros é um dos primeiros passos de um programa de compliance. Estabelecer os padrões éticos para o comportamento e decisões dos stakeholders garante que a empresa esteja em conformidade com a legislação, normas regulatórias e boas práticas de mercado.  

 

Ofereça treinamentos regulares 

Um programa de integridade só será eficaz se todos os colaboradores estiverem alinhados às políticas de compliance. Os treinamentos são a principal maneira de conscientizar os funcionários e, dessa forma, consolidar uma cultura de compliance na organização.  


Disponibilize um canal de denúncias  

O canal de denúncias é uma ferramenta indispensável para a prevenção, identificação e fiscalização de irregularidades. Trata-se da principal forma que a empresa pode ficar ciente de práticas antiéticas ou ilícitas, como crimes contra a administração pública, casos de assédio na equipe, dentre outras.  

 

Monitoramento contínuo das ações de integridade 

Mais do que criar diretrizes, é preciso acompanhar e ter certeza de que as ações de compliance realizadas estão sendo eficientes ou não. Por isso, fazer o monitoramento contínuo é fundamental para confirmar se o programa de integridade alcança seus objetivos e em quais processos ele pode ser aprimorado. Uma boa forma de fazer o monitoramento é através dos indicadores de compliance, como:  

 

  • Taxa de adesão dos treinamentos; 
  • Taxa de reconhecimento de políticas e procedimentos; 
  • Análise do que é recebido no canal de denúncias; 
  • Número de incidentes de conformidade e tempo de resolução dos incidentes; 
  • Entre outros. 

 


Conte com o clickCompliance
 

 

O compliance está em constante evolução, e o setor rodoviário não é exceção. Identificar e adaptar-se às tendências emergentes em conformidade regulatória será fundamental para garantir o sucesso contínuo das concessionárias no cenário atual. 

O clickCompliance tem soluções personalizadas para otimizar o programa de compliance das concessionárias de rodovias. Confira o que o software pode fazer pela sua empresa! 

0

Ambiente Corporativo, Ambiente de trabalho, Fique por Dentro, Funcionalidades

A tecnologia tem sido cada vez mais usada para facilitar o dia a dia das empresas em diferentes aspectos, contribuindo para maior agilidade no atendimento, melhorias nos processos, automatização de serviços, maior precisão técnica nas avaliações de qualidade, entre outras funções. No setor de compliance não é diferente: a tecnologia pode ser uma grande aliada para a realização do trabalho de gestão de riscos com o propósito de evitar o descumprimento das determinações previstas na legislação.

Em síntese, o principal objetivo do compliance é assegurar que uma organização se mantenha em conformidade com as leis, normas regulatórias e outras resoluções que se aplicam ao negócio.
Para isso, é elaborado um conjunto de regras e procedimentos internos com foco na realidade da organização. A rotina do setor de compliance é repleta de processos e ações para a conscientização dos funcionários, prevenção de riscos, investigação de irregularidades, avaliação periódica e atualização da política de compliance.

Todo esse trabalho pode ser beneficiado com a implantação de um sistema compliance. Mas como fazê-lo? Se você quer saber mais sobre o assunto, continue a leitura!

Neste conteúdo, organizamos todas as informações sobre o sistema compliance: o que é, como funciona, quais os benefícios e como implantá-lo.

O que é sistema compliance?

Sistema compliance é uma solução tecnológica desenvolvida para a realização das etapas do trabalho de conformidade nas organizações.
Através do uso de um software de compliance, os profissionais da área podem otimizar processos e torná-los mais precisos, o que contribui para aumentar a eficiência prática da política de compliance que foi criada para a empresa.

Dessa forma, um sistema compliance consiste em empregar a tecnologia no dia a dia de trabalho do setor, a fim de auxiliar a gestão das regras e procedimentos internos criados.

Há vários softwares disponíveis no mercado, mas antes de escolher um deles é preciso avaliar quais são as demandas do setor de compliance.

Como funciona um sistema compliance?

Em geral, o sistema compliance oferece soluções tecnológicas que facilitam o dia a dia de trabalho dos profissionais da área. Isso pode incluir:

Governança de documentos

A tecnologia para a governança de documentos tem como principal finalidade reduzir o tempo gasto com burocracias envolvidas na gestão das políticas corporativas. Assim, é possível, por exemplo:

  • Controlar aceites: o setor de compliance tem a garantia de que o funcionário leu, compreendeu e aceitou as políticas criadas.
  • Acompanhar prazos: a tecnologia oferece notificações sobre prazos, revisões e necessidade de revalidação de documentos.
  • Fazer pesquisa inteligente: é possível buscar documentos específicos por palavras-chave.
  • Criar alertas e lembretes: o sistema compliance para a governança de documentos apresenta a opção para o profissional de compliance receber notificações sobre as etapas do trabalho.
  • Realizar uma aprovação multinível: é possível enviar uma política interna para a aprovação de diferentes lideranças e gestores, a partir de uma configuração personalizada do workflow.
  • Criar declarações e contratos: também é possível elaborar documentos personalizados para cada funcionário.

Canal de denúncias

O sistema compliance também costuma disponibilizar um canal de denúncias, ferramenta indispensável para a prevenção, identificação e fiscalização de irregularidades.
Em geral, o sistema compliance oferece uma ferramenta que permite:

  • Acesso on-line;
  • Denúncia anônima ou identificada;
  • Protocolo para o acompanhamento pelo denunciante;
  • Gestão da apuração, que é feita em sigilo, pelo setor de compliance;
  • Chat anônimo com o denunciante em caso de necessidade de mais informações;
  • Indicadores e relatórios sobre o uso da ferramenta.

Compliance bot

É uma tecnologia que busca agilizar o esclarecimento de dúvidas dos funcionários da empresa. Através do compliance bot, os colaboradores podem fazer perguntas sobre o funcionamento das políticas internas, os procedimentos para a realização de denúncias e, até mesmo, compreender se uma determinada situação é considerada irregular ou antiética.

As perguntas podem ser feitas de forma anônima, fora do horário e local de trabalho, caso o funcionário assim o prefira. Entre as funcionalidades da ferramenta estão:

  • Respostas para dúvidas mais frequentes;
  • Referências a políticas e documentos corporativos;
  • Indicadores sobre atendimento, perguntas e respostas;
  • Encaminhamento da dúvida para o setor de compliance, quando necessário;
  • Avaliação do usuário sobre efetividade;
  • Extensão para o público externo (fornecedores, parceiros, entre outros).

Treinamentos de compliance

O sistema compliance também inclui tecnologias para a realização de treinamentos virtuais, que podem ser customizáveis, de acordo com a demanda da empresa.

Treinar os funcionários é uma das principais ações do setor de compliance. Após a criação da política interna, é necessário informá-la a todos os colaboradores para que as propostas sejam aplicadas na prática.

O sistema para treinamento de compliance não só facilita a realização da capacitação, como oferece funcionalidades que garantem a participação e a compreensão do funcionário sobre as informações que foram trabalhadas.

Processos de compliance

Conforme dito anteriormente, a rotina do setor de compliance envolve muitos processos. Automatizá-los, é uma forma de tornar o trabalho mais ágil e menos suscetível aos erros.
É possível trabalhar questões como:

Isso é feito através da automatização de etapas como:

  • Coleta de informações (preenchimento de formulários);
  • Análise e tratamento dos dados preenchidos;
  • Finalização do processo com a recomendação para cada caso;
  • Recebimento de indicadores e alertas.

O uso do sistema compliance para a realização desses processos permite que apenas as situações mais críticas cheguem ao setor para serem resolvidas de forma manual. Assim há mais tempo para os profissionais da área resolverem os casos delicados

Canal de privacidade

O canal de privacidade é uma tecnologia que assegura a conformidade da organização com a Lei nº 13.709/2018.
Popularmente conhecida como Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD), ela determina que todas as organizações, públicas e privadas, façam o tratamento correto para a coleta, o armazenamento e o uso de informações pessoais.

O canal de privacidade é a ferramenta do sistema compliance que atende todas as exigências da lei, tais como:

  • Confirmação do tratamento de dados pessoais pela organização;
  • Acesso, correção, portabilidade, bloqueio e eliminação de dados;
  • Informações sobre entidades públicas e privadas com as quais houve o compartilhamento;
  • Possibilidade de não fornecer ou revogar o consentimento do uso de dados.



Benefícios do sistema compliance

Conforme visto, o uso do sistema compliance oferece uma série de benefícios para as empresas. Entre os principais estão:

  • Otimização de processos;
  • Redução do tempo gasto pelos profissionais de compliance com burocracias corporativas;
  • Maior agilidade no atendimento e esclarecimento de dúvidas dos funcionários;
  • Auxílio para a identificação e a resolução de irregularidades no ambiente empresarial;
  • Maior precisão em relação aos prazos;
  • Suporte para a conscientização e o treinamento dos funcionários sobre as políticas de compliance.

Como implementar o sistema compliance?

É preciso avaliar quais soluções do sistema compliance melhor atendem as necessidades da organização.

O software do clickCompliance é uma opção completa com uma variedade de módulos que podem ser personalizados para a rotina da sua empresa.

Acesse o nosso site e agende uma demonstração.
0

Ambiente Corporativo, Governança de Documentos

A governança corporativa é um dos principais aspectos que merecem a atenção de gestores que almejam a longevidade dos negócios.

Afinal, o mercado tem valorizado, cada vez mais, as empresas que adotam boas práticas em prol da qualidade dos processos, das rotinas, dos serviços e, também, do bem-estar dos colaboradores.

No entanto, apesar de ser considerada um dos pilares fundamentais para o desenvolvimento das empresas, dados revelam que a
aplicação do sistema de governança ainda é um desafio. Estudo feito pela PwC Brasil identificou que 49% dos profissionais responsáveis pelo planejamento econômico da empresa estão insatisfeitos com o grau de formação de governança corporativa dos executivos.

Ainda segundo o levantamento, 51% deles também não confiam na eficiência dos conselhos de administração responsáveis pela gestão de riscos da empresa. Enquanto 50% consideram-se insatisfeitos com o trabalho de detecção de irregularidades, como fraudes e outros crimes.

As informações revelam a
necessidade de disseminar o conhecimento sobre o que é governança, como ela se aplica na prática e, sobretudo, como realizar esse trabalho de forma eficiente no dia a dia das empresas.

Se você quer saber mais sobre este assunto, continue a leitura. Neste conteúdo, explicaremos o conceito de governança, as melhores práticas, qual é a relação com o compliance, o ESG, dentre outras informações.

Bom artigo!

O que é governança corporativa?

Quem se interessa pelo tema, primeiramente, deve compreender o que é governança corporativa.

Na definição do Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC), o conceito está relacionado ao sistema adotado pelas organizações para
gerir os relacionamentos corporativos. Dentre as instâncias participantes, podemos destacar:

  • sócios;
  • conselho de administração;
  • diretoria;
  • órgãos de fiscalização;
  • demais interessados (acionistas, potenciais investidores, colaboradores, dentre outros).

Isso significa que é através da governança corporativa que ocorre o alinhamento entre os interesses de stakeholders e o que é disposto por órgãos responsáveis pela regulamentação e a fiscalização. Dessa forma, a organização reitera o seu valor diante do mercado.

Na prática, a governança corporativa transforma princípios básicos em orientações objetivas, com foco nos seguintes aspectos:

  • preservação do valor econômico a longo prazo;
  • acesso aos recursos;
  • qualidade da gestão;
  • bem-estar comum;
  • longevidade dos negócios.

princípios da governança corporativa

Quais são os princípios da governança corporativa?

Para colocar o conceito de governança corporativa em prática nas organizações, é necessário que sejam adotados alguns princípios básicos que irão nortear esse sistema. São eles:

  • Transparência;
  • Equidade;
  • Prestação de contas;
  • Responsabilidade corporativa.

Como implantar a governança corporativa nas empresas

A partir do conhecimento sobre o conceito, a aplicação prática e os princípios básicos que norteiam a governança corporativa, é possível planejar a sua implantação. Para isso, é necessário que a empresa se organize em algumas etapas:

  1. Crie um conselho de administração;
  2. Estabeleça um código de ética;
  3. Estruture um processo de gerenciamento de riscos;
  4. Promova uma postura ética na organização;
  5. Fortaleça as lideranças internas;
  6. Incentive práticas transparentes;
  7. Sistematize processos essenciais do negócio;
  8. Aprimore a relação com os diferentes públicos (interno e externo);
  9. Realize auditorias periódicas;
  10. Tenha um plano de sucessão para os principais postos da empresa.

Governança corporativa e compliance: entenda a diferença

Podemos identificar algumas semelhanças entre a governança corporativa e a proposta do programa de compliance. No entanto, os conceitos não possuem o mesmo significado.

Para entender a diferença entre ambos, é preciso saber
o que é compliance, o seu funcionamento e qual é a relação com a governança corporativa.

O que é compliance?

O termo compliance tem origem no verbo em inglês “ to comply”, que pode ser traduzido para o português como “cumprir”, “obedecer”, “concordar”. Assim, o compliance significa estar em concordância ou em conformidade com a legislação vigente.

Um programa de compliance tem como principal propósito identificar as leis que abrangem a atividade exercida pela empresa,
mapear os riscos de não cumpri-las e, assim, elaborar ações que evitem o descumprimento dessa legislação.

Por ser um trabalho contínuo, o compliance também abrange ações de monitoramento e fiscalização a fim de prevenir e combater irregularidades.

Relação entre a governança corporativa e o compliance

Dessa forma, o compliance está relacionado às etapas da governança corporativa que envolvem o gerenciamento de riscos, as auditorias e a promoção de uma conduta ética na organização.

A governança corporativa busca evitar os conflitos de interesses dos
stakeholders. Já o compliance prioriza a conformidade com a legislação vigente. Os dois objetivos apontam para um mesmo caminho, em direção a uma cultura organizacional responsável, ética e transparente.

Por isso, o programa de compliance é considerado um aliado para as boas práticas de governança corporativa.


ESG: o que é e como se relaciona com a governança corporativa?

Outro conceito que também é considerado fundamental para as boas práticas de governança corporativa é o ESG, sigla que vem do inglês “Environmental, Social, and Corporate Governance”. Em português, pode ser traduzido como “Ambiental, Social e Governança Corporativa”.

O ESG tem como foco a sustentabilidade dos negócios para além do aspecto financeiro, abrangendo os impactos ambientais e sociais promovidos pela empresa.

Dessa forma, o ESG orienta que a organização pense o futuro, adotando uma postura consciente desde já. Para isso são necessárias ações que visem:

  • a redução do desperdício;
  • o uso consciente dos recursos;
  • o impedimento de impactos negativos para o meio ambiente;
  • a preservação ambiental;
  • a diversidade da equipe;
  • a promoção do bem-estar dos colaboradores;
  • a colaboração com causas sociais.

O ESG é responsável por agregar valor à empresa e, por isso, está diretamente relacionado às boas práticas de governança corporativa.

Conheça as soluções do clickCompliance

Se você quer saber mais sobre governança corporativa, compliance, ESG e outros temas, acesse o nosso blog!

O clickcCompliance oferece soluções tecnológicas que auxiliam na implantação dos programas de compliance e integridade. Para saber mais, acesse o nosso site e
agende uma demonstração.
0

Ambiente Corporativo, Ambiente Corporativo, Ambiente de trabalho, Ambiente de trabalho, Ambiente de trabalho, Ambiente de trabalho, Ambiente de trabalho, Canal de Denúncias, Programa de Integridade, Treinamento de Compliance

 
Conheça estratégias e práticas para evitar e superar esse desafio, promovendo uma cultura organizacional sólida e confiável. Saiba mais!


O tema de conflito de interesses torna-se cada vez mais relevante para garantir a integridade e a ética nas operações das empresas. Mas o que exatamente é um conflito de interesses e como ele pode impactar o desempenho e a confiança na gestão empresarial?

Trata-se de uma situação delicada, na qual os interesses pessoais colidem com os interesses da empresa ou de terceiros, potencialmente comprometendo a imparcialidade e a transparência no processo de tomada de decisão. Pensando nisso, neste post, vamos desvendar o conceito, compreendendo suas ramificações e a importância de identificá-las no âmbito corporativo.

Além disso, vamos explorar estratégias e melhores práticas para evitar e superar esse desafio no local de trabalho, promovendo uma cultura organizacional sólida e confiável.

Está preparado? Acompanhe-nos nesta jornada de aprendizado e aprimore a gestão do seu negócio com base em princípios éticos e responsáveis!

 

O que é conflito de interesses?

 

Para melhor compreender o que significa conflito de interesses, é importante ter em mente que esse cenário acontece quando existe intenção em conseguir vantagens indevidas em relação a outras pessoas e à própria organização. No ambiente corporativo, esse problema ocorre quando um indivíduo prioriza seus interesses pessoais em detrimento dos objetivos da empresa.

 

Desde maio de 2013, a Lei nº 12.813 trouxe uma definição abrangente sobre o assunto, abordando o confronto entre interesses públicos e privados. A questão pode prejudicar o interesse coletivo ou influenciar de maneira inapropriada o desempenho de funções públicas.

 

No ambiente das empresas privadas, especificamente, podemos identificar conflito de interesses quando desejos secundários passam a guiar ações no interior da organização.

 

Isso significa que ocorre uma distorção na tomada de decisões, em que as preferências pessoais de um indivíduo prevalecem em vez dos valores e princípios estabelecidos pela empresa. Como consequência, a integridade e a transparência dos processos empresariais ficam comprometidos

 

Entender, portanto, o conceito é essencial para promover uma cultura organizacional ética e responsável, na qual as decisões são pautadas pelo bem comum da empresa e de todos os envolvidos. Ao abordar essa questão de forma consciente, as empresas podem evitar desvios antiéticos e garantir a confiança dos colaboradores, clientes e parceiros, construindo uma base sólida para o sucesso sustentável do negócio.

 

Fique conosco para descobrir como evitar e lidar com conflito de interesses no ambiente corporativo, fortalecendo os pilares da integridade corporativa.


Como sanar conflito de interesses na empresa?


Enfrentar o desafio do conflito de interesses é essencial para promover um ambiente corporativo saudável.

Nesse sentido, a combinação de tecnologia e compliance desempenha um papel crucial ao fornecer ferramentas e estratégias para sanar e prevenir essas situações. 

 

Conheça a seguir algumas delas!

Investigue causas minuciosamente

A primeira etapa para sanar um conflito de interesses na empresa é investigar suas causas com minúcia. Compreender as motivações por trás dessa situação é essencial para implementar medidas preventivas adequadas. Ao identificar as origens do conflito, a empresa pode adotar estratégias direcionadas e eficazes para solucioná-los de forma ética.


Por exemplo, uma empresa identificou um
possível conflito de interesses em seu departamento de compras, onde um funcionário é responsável por selecionar fornecedores para a organização. Suspeita-se que esse colaborador tem uma relação de parentesco com um dos fornecedores em potencial, o que pode influenciar suas decisões de compra.

Nesse caso, a empresa deve conduzir uma
investigação minuciosa para verificar a veracidade da informação e determinar se há de fato um conflito de interesses. 


Por meio de
entrevistas, análise de registros e outras medidas, é possível tomar uma decisão fundamentada e implementar medidas preventivas para evitar que a situação se repita no futuro.

Criar código de conduta

Um código de conduta claro e abrangente é uma base sólida para combater conflito de interesses. Esse documento deve estabelecer diretrizes e valores que irão nortear as ações dos colaboradores, reforçando a importância de colocar os interesses da empresa em primeiro lugar.

 

Além disso, o código de conduta deve abordar de forma específica situações que possam caracterizar o problema e fornecer orientações para lidar com essas questões.

 

Vamos observar um exemplo. Uma consultoria cria um código de conduta que destaca a importância da imparcialidade e da transparência nas decisões tomadas pelos seus colaboradores.

 

Esse código estabelece diretrizes claras para lidar com situações de conflito de interesses, como a proibição de aceitar presentes ou benefícios de clientes, fornecedores ou parceiros de negócios.

 

O código de conduta também orienta os funcionários a relatarem qualquer situação de conflito identificada para a equipe de compliance ou para um canal de denúncias seguro. Dessa forma, a empresa cria uma cultura de integridade e ética, para que os interesses da organização estejam sempre em primeiro plano.

consequências do conflito de interesses

 

Investir em big data

A tecnologia é uma aliada poderosa na identificação e prevenção de conflitos de interesses, sabia?

 

Por meio do uso de big data e análise de dados, por exemplo, as empresas podem monitorar as interações entre colaboradores e identificar padrões de comportamento que possam indicar conflitos potenciais.

 

Essa abordagem baseada em dados permite tomar decisões mais informadas e proativas, fortalecendo a cultura de compliance e a integridade empresarial.

 

Imagine que uma empresa de e-commerce utilize tecnologia de big data e análise de dados para monitorar as atividades de seus colaboradores em relação às suas vendas.

 

O sistema identifica padrões de comportamento, como:

  • descontos excessivos concedidos a clientes específicos;
  • redirecionamento de vendas para parceiros comerciais.

 

Esses padrões podem indicar um possível conflito de interesses ou prática antiética, certo? Ao utilizar a análise de dados, a organização pode identificar essas situações rapidamente e tomar medidas corretivas.

 

Uma das soluções tecnológicas disponíveis é o módulo de processos de compliance. Por meio dele, é possível identificar conflitos de interesses a partir da análise de dados de pessoas politicamente expostas, registros de recebimento de brindes, presentes e hospitalidades e registros de interações com a administração pública e entidades fiscalizadoras. 

 

A partir da coleta automática dessas informações, a equipe de compliance pode analisar os dados e prever riscos de compliance envolvendo conflito de interesses.




Investir em auditorias

As auditorias regulares são ferramentas essenciais para identificar e corrigir conflito de interesses. Elas permitem revisar processos e procedimentos internos, garantindo que as políticas de compliance estejam sendo seguidas adequadamente. 

 

Esses recursos proporcionam ainda uma visão abrangente das operações da empresa, contribuindo para a identificação precoce de situações que possam caracterizar conflito de interesses.

 

Conheça as soluções do clickCompliance

O clickCompliance oferece soluções inteligentes que ajudam a otimizar a rotina dos programas de compliance e integridade.


Agende uma demonstração e descubra tudo o que a tecnologia em compliance pode fazer por sua empresa.

 

 

 
0

Ambiente de trabalho, Canal de Denúncias, Ética, Treinamento de Compliance

Nenhuma empresa quer sofrer com problemas que possam difamar ou comprometer a imagem da companhia. Mas ainda assim, esses problemas estão acontecendo todos os dias, dentro e fora do ambiente corporativo.  


Ao passo que esses problemas aumentam, foi ficando cada vez mais complexo de cortar as raízes dos mesmos de uma forma eficaz. Isso porque muitos desses problemas envolvem diversas áreas da empresa e as pessoas têm medo de se comprometerem quando tomam a decisão de denunciar algo com que elas não concordam ou até mesmo um comportamento suspeito. 
 


Sendo assim, muitas empresas passaram a se preocupar com como garantir um terreno seguro para que os colaboradores possam fazer as denúncias com segurança e evitar uma série de problemas que acompanham esse quadro.
 


A seguir, entenda como criar esse espaço seguro para sua empresa por meio do canal de denúncias e como evitar que esses problemas afetem o andamento da organização.
 

Qual é a importância de um canal de denúncias dentro de uma empresa? 

Você sabia que, em muitos casos, os funcionários testemunham comportamentos ilegais diariamente e, mesmo assim, optam por não os denunciar? Aproximadamente 87% das pessoas que já sofreram assédio moral ou sexual no local de trabalho não denunciaram. O porcentual foi identificado por meio de pesquisa realizada com 4.975 usuários do site Vagas.com. 


Isso acontece pelo medo de se comunicar com o gestor responsável e sofrer represálias na empresa. Relatar violações ao seu chefe ou superiores pode ser perigoso, especialmente em organizações que não garantem o anonimato dos denunciantes.
 


Os colaboradores que sofrem dessa situação correm o risco de retaliação e demissão por denunciar o assunto, e tantos ficam tão sobrecarregados ao testemunhar violações de seus supervisores que acabam demitindo-se sem levar os casos para frente.
 


Se um deles conseguir manter seu cargo na organização, poderá sofrer isolamento social e afetar seus relacionamentos.
 


Dito isso, canais de denúncia externos, anônimos e amplamente divulgados devem ser implementados para que funcionários bem-intencionados se sintam protegidos de qualquer retaliação, discriminação ou ameaça que a possam vir a acarretá-los.
 

 

gráfico pessoas que não denunciam assédio


O que é um canal de denúncias? 

Os canais de denúncia são ferramentas relacionadas ao cumprimento do programa de compliance de uma organização. 

É um canal de comunicação no qual seus clientes, parceiros e colaboradores podem denunciar práticas consideradas ilícitas, como: corrupção, assédio moral e sexual, fraude, conflito de interesses, propina, segurança da informação, etc. 

É uma ferramenta que permite com que os denunciantes falem de forma anônima e segura, a fim de expor violações cometidas e fornecer provas com o objetivo de revelar maneiras de responsabilizar o autor (ou autores) por possíveis condutas ilícitas. 

As reclamações podem ser coletadas de várias maneiras, mas principalmente por e-mail, linhas telefônicas e formulários online. 

Como funciona um canal de denúncias? 

Já ficou claro que o canal de denúncias é uma ferramenta importantíssima no que diz respeito à resolução de diversos problemas que os colaboradores possam sofrer dentro da empresa. Mas como isso funciona na prática? Quais são os caminhos e as medidas que são tomadas para que esse canal funcione de uma maneira efetiva? 

Basicamente, o caminho que ocorre dentro do canal, é:
 

  1. Captação das denúncias;
  2. Análise dos dados registrados;
  3. Análise do relato;
  4. Triagem (é denúncia ou não?);
  5. Caso seja de fato uma denúncia, analisar os dados para elaboração do plano de investigação;
  6. Aprovação para investigar;
  7. Registro do plano de investigação e atas de reuniões no sistema;
  8. Proceder investigação; 
  9. Emissão do Relatório;
  10. Encerramento da denúncia;
  11. Registro procedente ou improcedente;
  12. Adoção de medidas disciplinares e definição de ações afim de evitar a reincidência. Monitoramento suportado pelos indicadores do sistema.

 

Para que serve o canal? 

O canal é uma linha direta que permite a funcionários e outras pessoas denunciarem confidencialmente alguma conduta antiética dentro da organização. É uma ferramenta importante para reduzir riscos e construir confiança, pois permite aos gestores detectar e atuar em relação a possíveis condutas inadequadas em um estágio inicial.  


Dessa forma, o canal também desempenha um papel preventivo, pois sua mera existência pode fazer as pessoas pensarem duas vezes antes de cometer atos de fraude, corrupção, assédio e outras práticas impróprias.
 

soluções para canal de denúncia externo e interno


Diferenças entre canal de denúncia externo e interno
 

A distinção entre canais de denúncia externos e internos é simples: os canais de denúncia internos são controlados pela própria empresa. Já o externo é controlado por uma empresa terceirizada que se responsabiliza pelo bom funcionamento do canal. 


Ambos os canais têm o objetivo de analisar as informações denunciadas e categorizar da melhor forma possível para o comitê de ética da empresa, alcançando o resultado correto, dando todas as ferramentas necessárias para que a organização tome as medidas apropriadas.
 


Escolher a opção certa nem sempre é fácil, pois o canal ideal varia de acordo com as características e necessidades de cada empresa, e também dos seus recursos.
 


Por exemplo, muitas vezes a pessoa responsável por cuidar das denúncias em canais externos pode estar apática da real situação das pessoas por não estar presente no convívio.
 


Além disso, os canais externos, muitas das vezes, podem acabar se tornando um prejuízo para empresa por não ter sido feita uma análise correta dessa necessidade da contratação de uma terceirizada. 
 


Por outro lado, um dos problemas que os canais internos sofrem é que eles costumam estar constantemente desorganizados.
 


Este fato se dá, em boa parte, porque o profissional da área acaba ficando muito atarefado e encontrando dificuldade em organizar e coletar os dados da melhor maneira possível.
 


E justamente nesse cenário que o clickCompliance pode se tornar um grande aliado. Isso porque o próprio software já disponibiliza para esse profissional uma série de automações e ferramentas que vão potencializar o trabalho que ele precisa executar, diminuindo consideravelmente um excesso de trabalho braçal que ele faria sem o software, além dos riscos que podem vir com um canal interno.
 






Como fazer essa junção de tecnologia com qualidade no canal de denúncia? 

A tecnologia existe para nos ajudar e auxiliar em tarefas que, sem ela, tomam um rumo bem mais complicado. Nesse caso não é diferente. A tecnologia é uma grande aliada quando se diz respeito aos processos do compliance, principalmente para ajudar nos problemas dos denunciantes.  


O software da ClickCompliance buscou com qualidade essa aliança da tecnologia e do compliance. Oferecemos não somente o serviço de um canal de denúncias automatizado e prático de ser usado por todo o pessoal da sua empresa, como diversos outros serviços e módulos que facilitam aquilo que é realmente importante para um compliance de qualidade.
 

0