Formulários de Compliance - clickCompliance
Your address will show here +12 34 56 78

Como fazer, Formulários de Compliance, Formulários de Compliance

Entender a prestação de contas é um passo importante para evitar fraudes e irregularidades no seu negócio


Se você deseja ingressar no mundo dos negócios, precisa saber que a prestação de contas é fundamental para a longevidade das empresas. 

 

Esse processo vai além de cumprir regulamentos e obrigações legais: é uma forma de demonstrar compromisso com a transparência e a responsabilidade, dois pilares essenciais para qualquer organização.

 

A prestação de contas também está diretamente relacionada à credibilidade e à capacidade de tomar decisões informadas

 

Neste conteúdo, você vai entender a importância de realizar este trabalho de forma correta e como isso pode beneficiar a sua empresa. Também compartilharemos dicas sobre como estabelecer a prestação de contas de forma eficiente.

 

Continue lendo para saber tudo sobre o assunto! 


 

O que é prestação de contas? 

A prestação de contas é um processo pelo qual uma organização ou indivíduo apresenta informações detalhadas sobre suas atividades financeiras, operacionais e estratégicas a um público específico ou à sociedade em geral. 

 

Dessa forma, é uma prática que tem a finalidade de comunicar abertamente como os recursos foram gerenciados para alcançar determinados objetivos.

 

Além de números e relatórios financeiros, essa comunicação também deve apresentar como a empresa está cumprindo suas responsabilidades, seja para acionistas, partes internas ou reguladores externos. 

 

Por isso, é muito importante que a prestação de contas seja realizada de acordo com os normativos e diretrizes do compliance, que envolvem a conformidade com a legislação e os padrões éticos. 


Por que a ação de prestação de contas é importante?

A prestação de contas desempenha contribui para construir a confiança entre a empresa e seus stakeholders, sejam eles:

 

  • Investidores
  • Funcionários
  • Fornecedores
  • Parceiros comerciais
  • Clientes 
  • Comunidade 

 

Ao ser transparente e responsável em suas ações, a empresa estabelece um vínculo de confiança com seus públicos externo e interno, o que contribui para:

 

  • aumentar o potencial atrativo para investimentos necessários para seu crescimento;
  • promover a maior satisfação da equipe, o que resulta em mais engajamento e produtividade, além de um bom clima organizacional;
  • estreitar relações com fornecedores e parceiros;
  • criar uma boa imagem para o público-alvo, podendo conquistar novos mercados consumidores;
  • estabelecer uma boa reputação que conquiste o respeito da sociedade em geral.

 

É válido lembrar que a prestação de contas auxilia no cumprimento da legislação vigente, o que reduz o risco de prejuízos financeiros decorrentes de multas, sanções e ações judiciais.




Objetivos da ação de prestação de contas

Agora que você já entendeu o que é prestação de contas e porque ela é importante para a sua empresa, vamos nos aprofundar em seus principais objetivos: 

Transparência

Quando uma organização é transparente em relação às suas operações e finanças, ela fornece aos stakeholders uma visão clara e honesta de como conduz seus negócios. 

 

A transparência ajuda a construir a confiança, pois os stakeholders podem tomar decisões estratégicas com base nas informações disponibilizadas. Além disso, a transparência cria uma cultura organizacional ética, em que as ações da empresa são acompanhadas de perto.

Responsabilidade

A empresa deve prestar contas não apenas do seu desempenho financeiro, mas também de suas práticas de governança, impacto social e ambiental. Isso incentiva a tomada de decisões responsáveis, já que a empresa sabe que suas ações estão sob observação.

Bases para decisões

As informações e os dados apresentados na prestação de contas permitem que os investidores avaliem o desempenho da empresa e tomem suas decisões. 

 

Os gestores internos também podem usá-las para identificar áreas que precisam de melhorias e medidas corretivas.

Cumprimento de regulamentações

As empresas estão sujeitas às obrigações legais e regulatórias que exigem a divulgação de informações financeiras e operacionais. 

 

Ao seguir os requisitos de prestação de contas, as empresas evitam litígios, multas e sanções que podem resultar do não cumprimento das leis e regulamentações aplicáveis. 

 

Nesse sentido, ter um programa de compliance eficiente é uma alternativa para garantir que a organização esteja em conformidade com todas as leis e normas que abrangem sua atividade.

Credibilidade

Quando uma organização apresenta relatórios precisos e transparentes, ela ganha a confiança do mercado. Essa credibilidade é um ativo valioso, especialmente, ao buscar investimentos, parcerias e oportunidades de crescimento. 

 

Empresas com histórico de prestação de contas confiável são vistas como mais atraentes para investidores e clientes.

Melhoria de investimentos

Por fim, a prestação de contas pode levar a uma melhoria significativa nos investimentos

 

Investidores que têm acesso às informações com transparência são mais propensos a investir. Isso pode impulsionar o crescimento, a expansão e a inovação da organização. 

 

Além disso, empresas que demonstram responsabilidade e transparência em sua prestação de contas tendem a atrair investidores que valorizam práticas éticas e sustentáveis.

 




Como fazer a prestação de contas?

Entender a importância desse processo não é o suficiente para colocá-lo em prática, por isso, separamos orientações para as etapas essenciais: 

Tenha um registro sistemático

O primeiro passo para uma prestação de contas eficaz é manter um registro sistemático de todas as atividades da empresa. Isso inclui:

 

  • transações financeiras
  • decisões de governança
  • conformidade com regulamentações 
  • outros aspectos relevantes do negócio. 

 

Um software de gerenciamento de compliance pode ser extremamente útil nesse processo, ajudando na governança de documentos e no processo de repasse das informações.



Defina prazos

Estabelecer prazos para a prestação de contas é fundamental. Isso garante que as informações sejam atualizadas e relevantes. O cronograma também ajuda a manter a disciplina e a consistência na divulgação de informações.

Apresentar comprovações

A simples apresentação de dados não é suficiente. É importante fornecer comprovações de que as informações divulgadas são precisas e confiáveis. Esse trabalho pode incluir:

  • auditorias independentes
  • relatórios de conformidade 
  • evidências documentais.

Acompanhar resultados

A prestação de contas não deve ser um processo estático. É essencial acompanhar os resultados e avaliar o impacto das ações tomadas. Isso permite que a empresa ajuste sua abordagem, conforme necessário, e demonstre seu compromisso com a melhoria contínua.


clickCompliance ajuda na prestação de contas 

O clickCompliance é uma ferramenta essencial para aprimorar a prestação de contas da sua empresa. 

 

Com recursos de gestão de instrumentos normativos, coleta de aceites automatizada, distribuição eficiente de documentos e controle de revisões, ele simplifica e fortalece as etapas do processo

 

Além disso, oferece um fluxo de aprovação configurável e acesso para terceiros, tornando a aprovação de novos documentos e a comunicação externa mais eficazes. 

 

Agende uma demonstração e veja na prática como o clickCompliance funciona! 

 

 

 
0

Conheça os casos mais comuns, saiba como impactam a sua empresa e quais as melhores maneiras de evitá-los!

Em meio a um mundo repleto de interações complexas e relações multifacetadas, provavelmente você já se deparou com o termo “conflito de interesses“, certo?

Mas afinal, o que essa expressão realmente representa e como ela impacta o cotidiano dos negócios? Se você já se perguntou sobre o significado e a importância desse conceito, está no lugar certo!

Conflito de interesses ocorre quando os interesses pessoais de colaboradores entram em choque com os da empresa ou de terceiros, podendo prejudicar o desempenho e a imparcialidade na tomada de decisões.

Essa situação é definida pela Lei nº 12.813/2013 tanto no contexto público, em que afeta o interesse coletivo e o desempenho de funções públicas, quanto no ambiente privado, pois pode impactar a objetividade da organização.

É crucial, portanto, que as empresas estejam cientes dos riscos envolvidos, uma vez que conflitos de interesses podem levar a decisões enviesadas e falta de transparência. Nesse contexto, medidas preventivas são essenciais para proteger a integridade do negócio e garantir a ética no mundo corporativo.

Neste post, vamos mergulhar no assunto e desvendar suas nuances para compreender seu papel em diversas esferas da sociedade.

Vamos explorar as definições legais, exemplos práticos e consequências desses conflitos, além de abordar como indivíduos e organizações podem se proteger e agir de forma ética e transparente. 

Vamos lá? Boa leitura! 


Os casos mais comuns de conflitos de interesses

Os conflitos de interesses são questões sensíveis que podem surgir em diversos contextos profissionais, afetando negativamente a ética, a imparcialidade e a integridade das organizações.

Entre os casos mais comuns de conflito de interesses, destacam-se:

  • nepotismo: em que favorecimentos a familiares e amigos comprometem a meritocracia;
  • recebimento de presentes de fornecedores: que pode influenciar decisões de compra;
  • recebimento de regalias: o qual pode influenciar o julgamento dos colaboradores em suas atuações.


Além disso,
favorecimentos a conhecidos ou parentes em detrimento de outros e a situação de colaboradores com dois empregos em organizações concorrentes também são cenários que podem gerar descontentamento e afetar a confiança e a justiça no ambiente de trabalho.

A seguir, falamos um pouco mais sobre cada um deles. Confira! 

Nepotismo

O nepotismo é um dos casos mais comuns de conflito de interesses que ocorre em ambientes profissionais. Esse fenômeno acontece quando um indivíduo utiliza sua posição de poder para favorecer familiares, amigos ou conhecidos, sem considerar critérios objetivos de competência ou mérito.

Essa prática pode comprometer a imparcialidade e a meritocracia dentro da organização, gerando descontentamento entre os colaboradores e prejudicando o desempenho da empresa como um todo.

Presentes de fornecedores

O recebimento de presentes, brindes ou favores por parte dos funcionários de fornecedores pode configurar outro cenário de conflito de interesses.

A tentação de aceitar essas gratificações pode influenciar negativamente o julgamento dos colaboradores em relação a decisões de compra e contratação. 

Essa situação afeta a relação de confiança com os fornecedores e prejudica a integridade das negociações comerciais.

Recebimento de regalias

Quando colaboradores recebem regalias ou benefícios pessoais de parceiros comerciais – como viagens, hospedagens ou convites para eventos –, isso pode representar uma ameaça ao comprometimento com os interesses da empresa. 

Essas vantagens podem influenciar as decisões dos funcionários e comprometer a objetividade em suas atuações profissionais, criando um ambiente propício para decisões enviesadas e antiéticas.

Favorecimentos a conhecidos ou parentes

Quando profissionais de uma empresa pública ou privada beneficiam diretamente conhecidos ou parentes em detrimento de outros colegas ou fornecedores, ocorre um conflito de interesses prejudicial à empresa.

Essa prática pode gerar descontentamento e desmotivação entre os demais colaboradores, além de comprometer a justiça e a meritocracia dentro do ambiente de trabalho.

Colaboradores com dois empregos em concorrentes

A situação em que colaboradores atuam simultaneamente em empresas concorrentes também é uma forma comum de conflito de interesses.

Essa dupla vinculação pode levar à divulgação de informações sensíveis, estratégias comerciais ou até mesmo favorecimento de uma organização em detrimento da outra.

Além disso, pode afetar negativamente o compromisso e a lealdade dos funcionários com ambas as empresas, prejudicando a produtividade e a integridade das atividades desempenhadas.

Quais os impactos do conflito de interesses na empresa?

 

Um conflito de interesses pode ter efeitos profundos e abrangentes no ambiente corporativo. Um dos principais impactos ocorre no aspecto financeiro, já que decisões enviesadas podem levar a investimentos imprudentes, acordos desfavoráveis e custos desnecessários, prejudicando a saúde financeira da empresa.

Além disso, essas situações podem acarretar ações judiciais de partes prejudicadas, resultando em gastos adicionais com processos legais e danos à imagem da empresa perante a opinião pública.

Outro impacto crucial é o prejuízo nas relações com os colaboradores, gerando desmotivação, desconfiança e afetando negativamente o clima organizacional.

O dano à imagem da corporação também é um desdobramento significativo do conflito de interesses. Ele pode levar à perda de confiança dos clientes, parceiros comerciais e investidores. 

Financeiros

Como enfatizamos, o conflito de interesses pode ter consequências significativas para as finanças da empresa.

Decisões tomadas com base em interesses pessoais ou relacionados a terceiros podem levar a investimentos inadequados, negociações desfavoráveis com fornecedores ou parceiros e despesas desnecessárias.

Essas práticas podem afetar negativamente o desempenho financeiro da empresa e comprometer sua sustentabilidade a longo prazo.

Ações judiciais

Em situações de conflito de interesses, os prejudicados podem buscar reparação legal por meio de ações judiciais.

Casos de favorecimentos injustos, nepotismo ou decisões enviesadas podem levar a processos legais, resultando em custos adicionais, perda de tempo e desgaste da imagem da empresa perante o sistema judiciário.

Prejuízo na relação com colaboradores

Quando conflitos de interesses são identificados ou percebidos pelos colaboradores, isso pode resultar em descontentamento e desmotivação dentro da equipe.

A percepção de que decisões não são tomadas com base em mérito e justiça pode minar a confiança dos funcionários na empresa e nos líderes, prejudicando o ambiente de trabalho e impactando a produtividade e a coesão da equipe.

Prejuízo da imagem da corporação

A reputação e a imagem de uma empresa são ativos valiosos e um conflito de interesses pode manchar esses atributos de forma significativa.

Ao perceber ações antiéticas ou favorecimentos, o público – clientes, parceiros comerciais ou investidores – passa a olhar com desconfiança para a empresa. 

As consequências incluem perda de negócios, redução da confiança dos stakeholders e, até mesmo, boicotes por parte dos consumidores. Essa dinâmica, com você pode perceber, afeta diretamente o sucesso e a viabilidade da corporação no mercado.

Quais são as formas de evitar conflito de interesse?


Identificar e combater conflitos de interesses é fundamental para garantir um ambiente de trabalho ético, transparente e eficiente.

As empresas devem adotar políticas claras e medidas preventivas para evitar essas situações e promover a integridade e a confiança dentro da organização.

Vale lembrar que conflito de interesses e compliance têm uma relação intrínseca no ambiente corporativo.

O compliance é o conjunto de regras e normas que busca assegurar a conformidade legal e ética das práticas empresariais.

Nesse contexto, evitar conflitos de interesses é um dos pilares essenciais para garantir a integridade e a transparência das operações.

As políticas de compliance são projetadas para identificar, prevenir e mitigar situações de conflito de interesses, promovendo uma cultura organizacional ética e responsável. 

A seguir, vamos indicar como sanar conflito de interesses e abordar algumas das principais medidas recomendadas, inclusive, pelo Instituto de Pesquisa do Risco Comportamental (IPRC Brasil). Acompanhe até o final!

Criar código de conduta

Uma das principais formas de evitar conflitos de interesse é estabelecer um código de conduta claro e abrangente.

Esse documento deve orientar os colaboradores sobre os padrões éticos e comportamentais esperados dentro da empresa, destacando a importância da imparcialidade, transparência e integridade nas decisões.

O código de conduta deve abordar especificamente situações que possam caracterizar conflitos de interesse e fornecer diretrizes para lidar com essas questões de forma ética e responsável.


Ter canal de denúncias seguro

Um canal de denúncias seguro e confidencial é essencial para incentivar a comunicação transparente dentro da empresa.

Colaboradores devem se sentir encorajados a relatar qualquer suspeita de conflito de interesses, sem receio de retaliações.

Esse canal proporciona uma maneira segura de denunciar práticas antiéticas ou questionáveis, permitindo que a empresa tome medidas corretivas de forma eficiente.

Criar comitê de análises

A criação de um comitê de análises dedicado a avaliar casos de potencial conflito de interesses é uma estratégia eficaz para lidar proativamente com essas questões. 

Esse comitê pode ser composto por membros independentes e experientes, responsáveis por analisar situações específicas e tomar decisões imparciais.

A abordagem contribui para uma visão mais objetiva e reduz a possibilidade de favorecimentos indevidos.

Auditar processos e procedimentos periodicamente

A realização de auditorias regulares nos processos e procedimentos da empresa é uma medida preventiva crucial para identificar e corrigir potenciais conflitos de interesses.

Esses procedimentos devem avaliar a conformidade com o código de conduta, identificar pontos vulneráveis e verificar a eficácia das políticas implementadas.

Ao monitorar de perto as atividades da empresa, é possível evitar desvios éticos e garantir que as práticas estejam em consonância com os valores e interesses da organização.

Automatize processos com o clickCompliance

O clickCompliance dispõe de uma solução tecnológica de automação de processos de compliance projetada especialmente para mitigar conflito de interesses, identificar pessoas politicamente expostas, registrar recebimento de brindes, presentes e hospitalidade e catalogar interações entre funcionários e a administração pública e órgãos fiscalizadores. 

Agende uma demonstração e saiba como rodar processos automaticamente, deixando apenas casos mais críticos para resolução humanizada.

0

Ambiente Corporativo, Legislação

Saiba como garantir a segurança dos processos e a eficiência operacional de seu negócio!



Você já deve ter percebido que a Tecnologia da Informação (TI) assumiu uma posição estratégica e indispensável em todas as indústrias, certo?

 

Sua função é fundamental para garantir a segurança dos processos e a eficiência operacional de qualquer negócio. Consequentemente, com a expansão contínua desse campo, a importância do compliance em TI tem se intensificado consideravelmente.

 

Essa política demonstrou a capacidade de conferir maior integridade à infraestrutura de serviços digitais de uma empresa. Se a sua prioridade é enfrentar as ameaças contemporâneas, a adoção desse modelo de abordagem torna-se imprescindível. 

 

Tendo isso em mente, elaboramos este conteúdo para oferecer as informações necessárias sobre o assunto, fornecendo insights sobre a melhor maneira de implementá-lo no seu departamento.

 

Boa leitura!


 

Conformidade com regulamentações e normas de segurança

 

Na era da informação, em que os dados são o novo ouro, as empresas enfrentam o desafio constante de proteger informações sensíveis e manter a confiança de seus clientes. É aí que entra a conformidade com regulamentações e normas de segurança.

 

Para compreender melhor essa dinâmica, vamos abordar as normas mais relevantes, como Regulamento Geral de Proteção de Dados (GDPR), Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), ISO 27001 e National Institute of Standards and Technology (NIST), além de mergulhar nas práticas essenciais de segurança de TI.

 

Esses instrumentos normativos são indispensáveis para orientar as empresas no estabelecimento de medidas sólidas de segurança, garantindo a proteção dos dados e a conformidade com as regulamentações vigentes.

Normas relevantes (GDPR, LGPD, ISO 27001, NIST)

 

O GDPR é uma regulamentação abrangente da União Europeia que busca proteger os dados pessoais de seus cidadãos.

 

Esse conjunto de normas impõe regras estritas sobre coleta, processamento e armazenamento de dados pessoais, além de exigir transparência e consentimento explícito dos titulares.

 

Equivalente brasileiro ao GDPR, a LGPD estabelece diretrizes similares para o tratamento de dados pessoais no Brasil. Essa lei reforça a importância da privacidade e dá aos titulares maior controle sobre suas informações.

 

Já o ISO 27001 é uma norma internacional para sistemas de gestão de segurança da informação. Ela oferece uma estrutura para identificar, avaliar e mitigar riscos de segurança cibernética, promovendo práticas sólidas de segurança da informação em uma organização.

 

O NIST, por sua vez, é um conjunto de diretrizes, padrões e melhores práticas de segurança cibernética desenvolvidos pelo governo dos Estados Unidos. O instituto ajuda as organizações a aprimorar sua postura de segurança, identificar ameaças e responder a incidentes de forma eficaz.

Práticas de segurança de TI

 

Além de aderir às normas, também é vital implementar práticas de segurança sólidas na área de TI. Isso inclui:

 

  • Gerenciamento de acesso;
  • Criptografia; 
  • Monitoramento e detecção de intrusões;
  • Atualizações regulares de software:
  • Treinamento de compliance e conscientização.

 

A conformidade com regulamentações e normas de segurança não apenas fortalece a postura de segurança da sua empresa, mas também constrói uma relação de confiança com seus clientes.

 

Implementar práticas de segurança de TI sólidas é um passo crucial para garantir que suas operações digitais estejam protegidas contra ameaças cada vez mais sofisticadas.


Treinamento em segurança de TI


 

As ameaças cibernéticas estão em constante evolução, e o elo primordial na cadeia de segurança é a equipe que opera dentro das fronteiras digitais da empresa.

 

É por isso que o treinamento em segurança de TI desempenha um papel fundamental na preparação da equipe para lidar com ameaças cibernéticas.

 

Isso envolve educar os funcionários sobre as práticas recomendadas de segurança e conscientizá-los sobre os riscos potenciais. Exemplos práticos incluem:

 

  • Phishing simulation: realizar simulações de phishing, enviando e-mails falsos que se assemelham a ataques reais, para treinar funcionários a identificar sinais de um ataque e a não clicar em links ou fornecer informações confidenciais.
  • Workshops de sensibilização: promover workshops interativos que abordem tópicos como segurança de senhas, proteção de dispositivos e reconhecimento de ameaças cibernéticas. Isso ajuda os funcionários a entenderem como suas ações podem impactar a segurança da organização.

Gerenciamento de riscos de tecnologia de informação

 

O gerenciamento de riscos de TI envolve a identificação, avaliação e mitigação de possíveis ameaças cibernéticas. Confira alguns exemplos práticos:

 

  • Avaliação de vulnerabilidades: fazer verificações regulares de sistemas e redes em busca de vulnerabilidades conhecidas que possam ser exploradas por invasores.
  • Implementação de firewalls e antivírus: configurar firewalls para filtrar o tráfego de entrada e saída e implementar software antivírus para detectar e remover malware.

 

Como você já deve ter notado, os riscos associados à TI são tão dinâmicos quanto o próprio campo. Do roubo de dados à interrupção dos serviços, o cenário é repleto de possibilidades preocupantes. Por isso, o gerenciamento de riscos de tecnologia de informação é tão necessário para enfrentar os desafios digitais com resiliência e confiança.


Medidas para diminuir riscos

 

Na paisagem digital atual, é inevitável que as organizações enfrentem riscos cibernéticos. No entanto, a diferença está na maneira como esses riscos são gerenciados e mitigados.

 

A redução desses perigos envolve a adoção de práticas e políticas de segurança robustas, tais como:

 

  • Backup regular de dados;
  • Controle de acesso;
  • Políticas de uso aceitável;
  • Patches e atualizações;

 

Sobre este último: é importante manter sistemas, aplicativos e dispositivos atualizados com os patches de segurança mais recentes para corrigir vulnerabilidades conhecidas. 


Práticas para garantir a LGPD

 

No contexto da LGPD, a privacidade dos dados pessoais dos indivíduos é uma prioridade inegociável. Isso exige a adoção de práticas rigorosas que garantam a conformidade e protejam os direitos dos titulares de dados.

 

Uma ação fundamental é obter consentimento transparente e explícito dos indivíduos antes da coleta e processamento de seus dados. Além disso, assegurar que os titulares de dados possam exercer seus direitos, como acesso, correção e exclusão de informações pessoais, é essencial para construir confiança.


Gestão de acesso e controle de identidade

 

A gestão de acesso e controle de identidade desempenha um papel central na segurança da informação. É fundamental garantir que apenas pessoas autorizadas tenham acesso a recursos e dados sensíveis.

 

Essa medida é alcançada por meio de práticas como a autenticação multifator (MFA), que exige mais de uma forma de autenticação para acessar sistemas críticos.

 

A concessão de privilégios mínimos, ou seja, fornecer acesso somente ao necessário para realizar tarefas específicas, também reduz as chances de acessos indevidos e aumenta a segurança geral do ambiente digital.


Recuperação em casos de incidentes

 

Quando se trata de segurança cibernética, estar preparado para o inesperado é essencial. A recuperação em casos de incidentes é um componente crítico desse preparo.

 

Afinal, mesmo com as melhores medidas de prevenção, incidentes podem ocorrer. Ter um plano de resposta a incidentes em vigor é necessário para lidar de forma eficaz com violações de segurança e interrupções.

 

Esse plano detalhado descreve as etapas a serem seguidas em caso de violação de dados, incluindo a notificação adequada de partes interessadas e a implementação de medidas para mitigar danos.

 

Além disso, manter backups regulares de dados é uma estratégia inteligente para garantir a recuperação após um incidente, minimizando a perda de informações críticas. 

 

Em um mundo digital onde a incerteza é uma constante, a recuperação em casos de incidentes é uma âncora para a continuidade operacional e a proteção dos dados sensíveis.


Base sólida de segurança é com o clickCompliance

 

Pronto para ir em direção a um ambiente digital mais seguro?

 

Agende uma demonstração dos serviços do clickCompliance e encontre uma equipe especializada pronta para guiá-lo com soluções que podem fortalecer sua postura de segurança e conformidade.

 

Garanta tranquilidade para o futuro digital da sua empresa!

 

0

Ambiente de trabalho, Fique por Dentro, Formulários de Compliance, Treinamento de Compliance

Adotar uma cultura de conformidade contribui para maior agilidade no combate a ameaças emergentes, melhora a avaliação de riscos e minimiza multas. Saiba mais!


A fraude corporativa é uma realidade que afeta empresas de todos os tamanhos e setores, causando prejuízos financeiros, danos à reputação e impactos negativos em toda a cadeia de valor.

 

Organizações que concentram seus esforços em buscar o crescimento e a rentabilidade, muitas vezes, podem negligenciar o desenvolvimento de um robusto programa de compliance.

 

É fundamental, no entanto, que as empresas adotem uma cultura de conformidade, tornando o compliance um aliado essencial na luta contra a fraude corporativa.

 

Contar com programas e ferramentas como um canal de denúncias são alguns exemplos de medidas indispensáveis nesse caminho. 

 

Neste post, vamos abordar detalhes sobre a importância da conformidade para reduzir riscos de fraude e todas as consequências negativas que esse problema pode gerar. 


Acompanhe até o final e não perca nenhuma informação essencial para o seu negócio!


 

O que é fraude corporativa?


 

Antes de abordarmos a relação entre compliance e fraude corporativa, é importante entender esses dois conceitos.

 

Em termos simples, compliance é um conjunto de disciplinas referente ao cumprimento de leis, regulamentos internos e externos, normas setoriais e padrões éticos aplicáveis a uma empresa.

 

Trata-se de garantir que todas as atividades da organização estejam em conformidade com essas regras e diretrizes e que os colaboradores ajam de acordo com os princípios estabelecidos.

 

A fraude, no contexto empresarial, refere-se a práticas enganosas, desonestas ou ilegais realizadas por indivíduos ou grupos dentro da organização.

 

Essas ações têm o intuito de obter vantagens indevidas ou prejudicar a empresa, seus acionistas, clientes, colaboradores ou outros stakeholders.

 

As práticas fraudulentas podem ser realizadas de maneira oculta e dissimulada, muitas vezes para evitar detecção e responsabilização.

 

Quais são os tipos de fraudes corporativas?

 

As fraudes corporativas abrangem uma ampla variedade de práticas desonestas e ilícitas dentro das organizações. Essas atividades fraudulentas podem ter impactos significativos nos resultados financeiros e na reputação das empresas.

 

A seguir, exploramos alguns dos principais tipos de fraudes corporativas. Confira agora mesmo cada uma delas! 

Conflito de interesses

 

O conflito de interesses ocorre quando um colaborador ou gestor da empresa possui interesses pessoais, financeiros ou profissionais que podem influenciar negativamente suas decisões e ações no contexto empresarial.

 

Essa situação pode levar a tomada de decisões prejudiciais aos interesses da companhia, favorecimento de fornecedores ou parceiros em benefício próprio, entre outras práticas prejudiciais.

Despesas fictícias

 

Esse tipo de fraude envolve a criação ou manipulação de registros falsos de despesas para obter reembolsos indevidos da empresa.

 

Colaboradores podem forjar recibos, notas fiscais ou, até mesmo, criar despesas que nunca ocorreram, com a intenção de obter recursos financeiros de maneira fraudulenta.

Peculato

 

O peculato é um tipo de fraude em que um colaborador se apropria de bens, valores ou recursos para benefício próprio. Essa apropriação causa prejuízos diretos ao patrimônio da organização, comprometendo seus recursos e podendo resultar em danos financeiros significativos.

 

É uma prática ilegal e antiética que pode levar a sérias consequências e impactar negativamente a reputação da empresa. Suas consequências legais podem incluir:

 

  • processos criminais;
  • pena de prisão;
  • multas;
  • reparação do dano à empresa;
  • perda do emprego;
  • registro criminal;
  • dificuldade na busca de emprego no futuro.

 

É fundamental, portanto, que as empresas adotem medidas preventivas para combater essa prática e promovam uma cultura ética e transparente.

Suborno

 

A prática de suborno envolve oferecer, dar, receber ou solicitar pagamentos, propinas ou favores indevidos para obter vantagens ilícitas nos negócios da empresa.

 

Esse tipo de fraude pode comprometer a integridade das transações comerciais e distorcer a livre concorrência.

Evasão fiscal

 

A evasão fiscal é uma fraude que visa evitar o pagamento de tributos devidos pela empresa ao governo.

 

Isso pode ocorrer através de manipulação de informações contábeis, subnotificação de receitas ou outras práticas ilícitas, com o objetivo de reduzir os impostos a serem pagos.

Skimming

 

O skimming é uma forma de fraude que envolve o desvio de dinheiro em transações financeiras, como vendas em dinheiro ou pagamentos recebidos.

 

Nesse tipo de fraude, os valores desviados não são registrados nos sistemas contábeis da empresa, tornando difícil sua detecção.

Sabotagem

 

A sabotagem é um tipo de fraude corporativa que visa prejudicar deliberadamente a empresa por meio de ações ou omissões intencionais.

 

Isso pode incluir danos a equipamentos, destruição de informações, vazamento de dados sensíveis ou qualquer outra ação destinada a causar prejuízos à organização.


Como o compliance atua na diminuição de fraudes corporativas?


 

De acordo com dados da Serasa Experian, com base em informações de 2023, um brasileiro é vítima de fraude a cada 9 segundos, o que demonstra a extensão do problema e a urgência em se adotar medidas efetivas para combatê-lo.

 

A luta contra a fraude é uma responsabilidade coletiva, que requer ações tanto individuais como corporativas. É essencial que as pessoas estejam alertas e informadas sobre os golpes para se protegerem melhor.

 

Além disso, é imprescindível que as empresas implementem programas de compliance como parte integrante de suas estratégias de combate à fraude. 

 

Investir em sistemas de prevenção e detecção desse tipo de problema, aliados a uma cultura organizacional que valorize a ética e a transparência, é necessário para fortalecer as defesas contra práticas fraudulentas.

 

Vamos ver agora como é possível enfrentar efetivamente o problema da fraude e seus impactos negativos em nossas vidas e negócios.

Maior agilidade no combate a ameaças emergentes

 

Um programa de compliance bem estruturado permite que as empresas estejam mais preparadas para identificar e responder rapidamente a ameaças emergentes de fraude corporativa.

 

Ao promover a comunicação contínua e o compartilhamento de informações entre os setores, o compliance pode facilitar a detecção precoce de atividades suspeitas, tornando possível uma resposta ágil para mitigar os riscos antes que se agravem.



Melhora a avaliação de riscos

 

Os programas de compliance identificam vulnerabilidades e pontos fracos que podem ser explorados por fraudadores. Esse retorno é possível porque as medidas possibilitam analisar os processos internos, as transações comerciais e as interações com terceiros.

 

Essa avaliação de riscos permite a implementação de controles preventivos mais efetivos, diminuindo as oportunidades para a ocorrência de fraudes.

Minimiza multas

 

Empresas que possuem um sólido programa de compliance e demonstram comprometimento com a ética e a conformidade têm mais chances de receber tratamento favorável em caso de irregularidades.

 

As autoridades reguladoras costumam levar em consideração o grau de conformidade e os esforços para evitar fraudes ao determinar as penalidades em casos de infrações.

 

Assim, o compliance pode ajudar a reduzir o valor de multas ou outras sanções impostas à empresa em situações de fraude corporativa.


Proteja seu negócio e previna fraudes com o clickCompliance

 

Agora que você já sabe como o compliance pode ser o aliado essencial na luta contra fraudes corporativas, está na hora de garantir que sua empresa esteja em conformidade com as leis. 

 

Essa é a melhor maneira de proteger seus negócios de riscos desnecessários. 

 

Conheça os serviços do clickCompliance e conte com nossa equipe de especialistas para ajudá-lo a implementar um programa efetivo e personalizado.

 

Agende uma demonstração.

 

0

Formulários de Compliance, Política de privacidade

Saiba o que é mapeamento de processos e como sua aliança ao compliance favorece os negócios.



A sociedade valoriza e reconhece as organizações que prezam pela ética e a transparência em suas práticas e relações. Diante de consumidores cada vez mais atentos e conscientes, as empresas têm buscado ferramentas que ajudem a
consolidar uma cultura organizacional pautada nesses valores.

 

O mapeamento de processos e o compliance são dois elementos essenciais para garantir a clareza e a integridade em todas as operações, fazendo com que a ética e a transparência não se limitem ao discurso.

 

Através do mapeamento de processos, é possível oferecer uma visão completa e estruturada das atividades da empresa. Já o compliance assegura que todas elas sejam realizadas em conformidade com as normas, resoluções e leis vigentes.

 

Quer saber mais sobre como funcionam ambas as ferramentas? Não deixe de ler este conteúdo na íntegra! 


 


O que é mapeamento de processos?

 

O mapeamento de processos é uma ferramenta estratégica usada para a gestão de empresas. Consiste em representar todas as atividades internas, com seus fluxos completos, em modelos visuais.

 

A ferramenta possibilita a equipe ter uma visão clara e estruturada de toda a rotina e dinâmica das operações da empresa. A compreensão de como as etapas e os diferentes departamentos estão interligados permite organizar e otimizar os processos, bem como identificar possíveis gargalos com maior agilidade, o que dá a oportunidade de antecipar soluções.

 

 

 

Quais são as etapas do mapeamento de processos?

Mapear processos é um trabalho feito em etapas. Cada passo deve ser analisado de forma criteriosa para que o fluxo de trabalho leve ao cumprimento dos objetivos. A seguir, veja por onde começar:

Estabeleça os objetivos

Na primeira fase do mapeamento de processos, é necessário que a empresa identifique quais são os seus objetivos. Para isso, basta responder a pergunta: qual é a razão deste processo existir? Com a resposta, passamos para o segundo passo. 

Saiba quais são os outputs

 

Output é um termo que pode ser traduzido para o português como saída. No contexto do mapeamento de processos, pode ser entendido como as entregas feitas ao final de cada fluxo de trabalho.

 

É importante destacar que entrega não significa apenas algo concreto, como o produto ou serviço prestado pela empresa. É preciso avaliar cada sequência de atividades e reconhecer o que é obtido ao final dela. Pode ser um dado, uma decisão, uma aprovação, por exemplo.

 

Reconheça os clientes

 

Após estabelecer os objetivos de um processo e saber o que é produzido ao final dele, a empresa deve seguir com a etapa seguinte: reconhecer os clientes que fazem parte da jornada.

 

Alguns fluxos de trabalho envolvem a participação direta do cliente, como reuniões, análises e aprovações. Ao reconhecer quais são essas atividades, a empresa pode realizar um planejamento mais detalhado e, também, ter percepções de valor durante as interações.

Fique atento aos inputs

 

Da mesma maneira que a empresa deve saber quais são os outputs, ela também precisa ficar atenta aos inputs, que significam “entradas”. No mapeamento de processos, o termo refere-se aos elementos que sofrem mudanças no decorrer do fluxo de trabalho.

 

Geralmente, são denominadas como alterações e podem ser decorrentes de uma modificação de informação, de uma análise interna ou do cliente a fim de aprimorar o resultado daquele processo. 

 

Os inputs merecem atenção, pois devem ser considerados na avaliação de recursos e nos prazos de entrega.

Analise os recursos

 

A realização de cada processo de um fluxo de trabalho exige recursos materiais e humanos. O trabalho de mapeamento inclui identificar quais são eles a fim de avaliar os custos e os lucros dos projetos.

 

Analisar os recursos utilizados também é uma forma de contribuir para a transparência para a empresa.

Reconheça os fornecedores

 

Assim como a identificação dos clientes, reconhecer os fornecedores presentes no fluxo de trabalho também é uma tarefa fundamental. Em meio aos processos, pode ser necessária a aquisição de algum insumo. 

 

Analisar os fornecedores envolvidos em cada processo é uma forma de assegurar que os  insumos estejam alinhados com os padrões de qualidade e ética da empresa.

Faça a documentação e realize análises periódicas

 

O mapeamento de processos é um trabalho contínuo. Para que seja eficiente, é recomendável documentar todas as informações levantadas e realizar análises periódicas a fim de assegurar que a ferramenta ilustre a realidade da empresa.

 

As organizações são dinâmicas e podem sofrer alterações nas atividades e nos processos internos. Por isso, manter o mapeamento atualizado é fundamental para dar clareza às informações.

 

Para isso, é importante que a empresa mantenha uma boa gestão dos instrumentos normativos

 

 

 

Como o compliance atua no mapeamento de processos?

 

O compliance e o mapeamento de processos são estratégias complementares para a eficiência operacional e a adoção de uma política de transparência nas companhias.

 

Se o mapeamento de processos dá clareza às atividades que integram o fluxo de trabalho, o compliance garante que todas elas estejam em conformidade com a legislação vigente. 

 

Ao aliar as duas ferramentas, é possível:

 
  • Identificar os processos da empresa e quais normas estão vinculadas aos mesmos;
  • Avaliar os riscos de falhas e descumprimento da legislação;
  • Garantir a transparência e a prestação de contas;
  • Identificar erros e irregularidades;
  • Propor melhorias a partir dos problemas identificados.


 

Quais as vantagens do mapeamento de processos?

 

O mapeamento de processos traz uma série de benefícios para a empresa. Ao organizar, aprimorar e documentar os fluxos de trabalho, a organização poderá perceber vantagens, como: 



  • Fortalecimento da cultura de transparência;
  • Padronização das atividades;
  • Mitigação de riscos;
  • Otimização dos resultados;
  • Redução do desperdício;
  • Identificação de gargalos e antecipação de soluções;
  • Oportunidades de melhorias;
  • Gestão do conhecimento a partir da criação de registros sobre o funcionamento da empresa.



Gestão de processos é com o clickCompliance

 

A gestão de processos de compliance é um trabalho minucioso que exige tempo, atenção e muito conhecimento. No dia a dia corrido das organizações, nem sempre é possível se dedicar à tarefa, o que pode fazer com que ela acabe sendo postergada.

 

O clickCompliance possibilita agilizar o trabalho, garantindo uma realização com qualidade e precisão.

 

Agende uma demonstração e saiba tudo o que a tecnologia em compliance pode fazer pela sua empresa.



0

Formulários de Compliance, Programa de Integridade, Treinamento de Compliance

Saiba os principais benefícios que o investimento na área de compliance pode trazer para as empresas que fazem a gestão das rodovias.  


Certamente, ao viajar de carro, você já se deparou com placas com os dizeres “Trecho administrado por empresa X”. Trata-se de um aviso de concessão, ou seja, quando uma companhia assume a gestão de uma rodovia no lugar do Estado.  

As concessionárias de rodovias cumprem um papel fundamental na infraestrutura do país, conectando regiões e proporcionando o transporte de pessoas e de mercadorias.  

Assim como em outros segmentos do mercado, o compliance também desempenha uma função essencial nessas empresas, trazendo diversos benefícios tangíveis, tais quais o fortalecimento da imagem corporativa e a mitigação de riscos legais, por exemplo.  

Neste artigo, você vai entender os desafios que as concessionárias de rodovias enfrentam e porque o compliance é uma peça-chave para o sucesso e o crescimento sustentável deste negócio.  

Vamos lá?  

 


O que são as concessionárias de rodovias? 
 

O transporte rodoviário é o principal sistema logístico do Brasil e é responsável por facilitar o acesso às cidades, possibilitar a circulação das pessoas e viabilizar o deslocamento de cargas, mercadorias e bens de consumo. Como vivemos em um país de dimensão continental, nem sempre o Estado é capaz de fazer a manutenção das estradas que ligam os municípios e é aí que entram as concessões rodoviárias. 
 

Antes de tudo, precisamos explicar o que são as concessões: são contratos firmados entre o governo e companhias privadas com o intuito de melhorar o serviço prestado à população quando o Estado não tem recursos para fazê-lo. No caso das concessionárias de rodovias, esse contrato é dedicado exclusivamente ao gerenciamento das estradas.  

Neste modelo, o governo continua sendo o proprietário das rodovias, mas as empresas privadas têm a responsabilidade de fazer toda a gestão das estradas, incluindo manutenções e melhorias. Em contrapartida, a concessionária pode fazer a exploração econômica da rodovia, por meio da cobrança de pedágios. 


 


Empresas do segmento rodoviário enfrentam desafios
 

Em geral, as concessionárias de rodovias podem enfrentar desafios específicos relacionados à sua operação, devido à natureza complexa de suas atividades, como:  

 

Complexidade regulatória significativa 

Como já dissemos, as concessionárias de rodovias operam sob contratos de concessão firmados com órgãos governamentais, o que implica em cumprir diversas regulamentações específicas. Esses contratos podem ser extensos e detalhados, o que requer um alto nível de conformidade com as cláusulas contratuais e com as leis vigentes. 

 

Inovação e Tecnologia 

A adoção de tecnologias inovadoras é fundamental para melhorar a eficiência e a qualidade dos serviços oferecidos pelas concessionárias de rodovias. No entanto, a implementação de novas tecnologias pode representar um desafio em termos de investimentos e capacitação de equipe. 

  

Relacionamento com a Administração Pública e Órgãos Reguladores 

As concessionárias de rodovias precisam manter um relacionamento próximo e transparente com a administração pública e órgãos reguladores para cumprir as exigências contratuais e regulatórias, como a Lei Anticorrupção. O diálogo constante é essencial para evitar conflitos e assegurar o cumprimento das obrigações. 

 

O que é compliance e por que é essencial para as concessionárias rodoviárias 

 O compliance é muito mais do que apenas seguir regras e regulamentos. Trata-se de garantir que a empresa atue dentro das normas legais e éticas, priorizando a transparência, a responsabilidade e a integridade.  

Para as concessionárias rodoviárias, a conformidade é essencial para garantir uma atuação segura e eficiente. São diversos benefícios, como o aumento da transparência e da governança corporativa, melhoria da relação com o Estado, investidores e stakeholders, mitigação dos riscos legais, além do fortalecimento da reputação da empresa perante o mercado. 

No entanto, a rotina do setor de compliance pode ser bastante árdua e operacional. Neste contexto, investir um sistema completo de gestão de compliance é crucial para otimizar a operação de compliance como um todo, já que a solução tecnológica automatiza os processos da área e os torna mais precisos.  


 

Melhores práticas em compliance


O compliance é um pilar fundamental para as concessionárias de rodovias, oferecendo inúmeros benefícios e auxiliando-as a superar desafios específicos do segmento. Ao adotar uma cultura de conformidade e manter um relacionamento ético com a administração pública, essas empresas estão posicionadas para alcançar um crescimento sustentável e contribuir para o desenvolvimento do país.
 

A seguir, listamos as melhores práticas que as empresas do setor devem adotar.  

 

Implemente políticas e códigos de conduta 

Criar regras e procedimentos internos a serem seguidos por todos os funcionários, terceirizados e parceiros é um dos primeiros passos de um programa de compliance. Estabelecer os padrões éticos para o comportamento e decisões dos stakeholders garante que a empresa esteja em conformidade com a legislação, normas regulatórias e boas práticas de mercado.  

 

Ofereça treinamentos regulares 

Um programa de integridade só será eficaz se todos os colaboradores estiverem alinhados às políticas de compliance. Os treinamentos são a principal maneira de conscientizar os funcionários e, dessa forma, consolidar uma cultura de compliance na organização.  


Disponibilize um canal de denúncias  

O canal de denúncias é uma ferramenta indispensável para a prevenção, identificação e fiscalização de irregularidades. Trata-se da principal forma que a empresa pode ficar ciente de práticas antiéticas ou ilícitas, como crimes contra a administração pública, casos de assédio na equipe, dentre outras.  

 

Monitoramento contínuo das ações de integridade 

Mais do que criar diretrizes, é preciso acompanhar e ter certeza de que as ações de compliance realizadas estão sendo eficientes ou não. Por isso, fazer o monitoramento contínuo é fundamental para confirmar se o programa de integridade alcança seus objetivos e em quais processos ele pode ser aprimorado. Uma boa forma de fazer o monitoramento é através dos indicadores de compliance, como:  

 

  • Taxa de adesão dos treinamentos; 
  • Taxa de reconhecimento de políticas e procedimentos; 
  • Análise do que é recebido no canal de denúncias; 
  • Número de incidentes de conformidade e tempo de resolução dos incidentes; 
  • Entre outros. 

 


Conte com o clickCompliance
 

 

O compliance está em constante evolução, e o setor rodoviário não é exceção. Identificar e adaptar-se às tendências emergentes em conformidade regulatória será fundamental para garantir o sucesso contínuo das concessionárias no cenário atual. 

O clickCompliance tem soluções personalizadas para otimizar o programa de compliance das concessionárias de rodovias. Confira o que o software pode fazer pela sua empresa! 

0